Coligação para estadual ‘esquenta’ clima na Frente de Oposição
   1 de julho de 2014   │     17:14  │  0

Não houve consenso. Ao final prevaleceu a tese do deputado federal Givaldo Carimbão e do PT. A Frente de Oposição terá ao menos três diferentes coligações para deputado estadual.

A divisão e acomodação dos partidos está ‘esquentando’ as discussões internas na coligação que reúne 14 partidos e deve se prolongar até o momento de entrega das atas no TRE.

No momento estão formados três grupos: o PT que disputa sozinho, uma coligação puxada pelo PROS (que inclui PHS, PCdoB e PTdoB) e uma chapa liderada pelo PMDB (que inclui, entre outros, PSC, PDT e PTB).

A situação mais complicada na Frente de Oposição, no momento, é a do PSD. O partido tem três nomes considerados fortes na disputa – os vereadores Tarcísio Freire, de Arapiraca, e Cidoca, de Penedo e o deputado estadual Dudu Hollanda, candidato à reeleição.

Por conta de Dudu, que tem maior peso eleitoral, o PSD não foi “acolhido” na coligação encabeçada pelo PT nem pelo grupo encabeçado pelo PROS. Restaria a chapa liderada pelo PMDB. Mas essa alternativa não interessa muito aos candidatos do partido de João Lyra.

As conversas tem sido conduzidas nos últimos dias por Paulão, Carimbão, Celso Luiz, Olavo Calheiros e Dudu Hollanda – entre outros líderes partidários.

A expectativa é que o PSD seja acomodado logo, encerrando, como explica um dos coordenadores da Frente de Oposição, a “leve turbulência”.