De Renan Filho, o mais jovem governador do Brasil: “Obrigado, Alagoas”
   6 de outubro de 2014   │     5:27  │  1

O novo governador de Alagoas é novo, literalmente. Renan Filho, PMDB, tem 34 anos e só completa 35 (idade mínima para assumir o governo ou o Senado) no próximo dia 8.

Apesar da juventude, ele tem experiência de dez anos na vida pública. Foi duas vezes prefeito de Murici, eleito em 2004 e 2008 e deputado federal eleito em 2010 com 140.180 votos (9,9% dos votos válidos) -maior votação da história até hoje.

Que a eleição de Renan Filho tem a influência de seu pai, hábil articulador político, o senador Renan Calheiros, ninguém dúvida. Mas o novo governador ganhou por seus próprios méritos. Foi considerado o melhor nos debates, teve excelente desempenho no guia eleitoral, empolgou na campanha de rua e foi extremamente eficaz no uso das redes sociais.

Renan Filho mostrou durante a campanha que conhece bem a realidade de Alagoas, foi o único candidato a apresentar um programa de governo com ações concretas para áreas como segurança, saúde e educação e conseguiu transformar em discurso político o sentimento de mudanças das ruas.

Ele enfrentou vários adversários até a vitória no dia 5 de outubro. Quem acompanhou o processo sabe que não foi fácil vencer resistências internas na Frente de Oposição, até que seu nome virasse consenso.

O nome mais forte dentro do grupo, como se sabe, era o do senador Renan Calheiros. Mas existiam várias outras alternativas. Fernando Collor, Luciano Barbosa, Ronaldo Lessa e Cícero Almeida eram apontados como opções.

As pesquisas internas, o sentimento de mudança e a necessidade de renovação contribuíram para a escolha que foi feita a partir de um processo que envolveu reuniões internas e grandes encontros com lideranças políticas em Maceió, Arapiraca e Penedo.

Depois Renan Filho encarou um adversário poderoso. Benedito de Lira conseguiu formar uma ampla frente partidária e apostou num modelo de campanha centrado na desconstrução. O objetivo era tentar aumentar a rejeição do candidato, a partir de críticas à sua gestão em Murici e ao fato de ser o “filho” de Renan Calheiros. Não funcionou. Renan Filho foi para o embate e soube reagir com dureza quando foi preciso.

O desafio

Eleito, Renan Filho terá pouco tempo para comemorar. Ele começa a fazer a transição já na próxima semana. Quando anunciar sua equipe – o que deve acontecer nos próximos dias – ele estará dando o primeiro passo para encarar o desafio de ser o governador mais jovem da história recente de Alagoas. Um desafio e tanto, considerando os problemas que o estado enfrenta na educação, saúde e segurança, entre outros setores.

Como ele dará conta? Vamos aguardar mais alguns meses para dar essa resposta.

O agradecimento

Renan Filho foi tão sucinto quanto possível ao agradecer a eleição aos alagoanos: “Obrigado, Alagoas”, registrou em uma foto postada em sua página no Facebook. A foto – um mosaico com vários momentos da campanha (veja abaixo) é do tipo que vale por “mil palavras”.

Depois de 24 anos

Um registro que precisa ser feito. Em 1990, há 24 anos portanto, Renan Calheiros disputou o governo de Alagoas pelo PRN. Ele perdeu para Geraldo Bulhões (a quem acusou de fraudar a apuração) numa eleição conturbada.

Depois disso, Renan Calheiros rompeu com o PRN e ingressou no PMDB, se elegendo senador em 1994 , 2002 e 2010.

Da derrota Renan Calheiros tirou lições que o transformou, hoje, numa das maiores lideranças políticas do Brasil. Mas essa é outra história.

 

O agradecimento

O agradecimento

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

Comments are closed.