Ama nega caráter eleitoral em protesto de prefeitos alagoanos
   20 de outubro de 2014   │     20:31  │  0

A presidente Dilma Rousseff prometeu aos prefeitos de todo o Brasil que aumentaria em 1% os repasses do Fundo de participação dos Municípios. O aumento seria para compensar perdas crescentes na transferência de recursos federais para as prefeituras

Em dificuldades, prefeitos de todo o Brasil decidiram realiar protestos, fechando  as portas das prefeituras.

No estado a mobilização vem vendo conduzida pela Associação dos Municípios Alagoanos. O problema é que às vésperas do segundo turno das eleições para presidente algumas ações podem ter forte repercussão política e eleitoral.

Uma paralisação geral das prefeituras marcada para esta segunda-feira, 20, perdeu força depois que o presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB, resolveu pedir que os prefeitos adiassem o movimento para depois das eleições.
Apesar do apelo de Renan Calheiros a AMA manteve a paralisação que ter contou com a participação de 40 prefeituras (veja matéria aqui http://gazetaweb.globo.com/noticia.php?c=380470&e=14). O movimento poderia ter sido maior. Renan Calheiros se reuniu com 30 prefeitos e os convenceu a deixar o movimento para depois do segundo turno.

A diretoria da AMA nega que o movimento tenha qualquer caráter partidário ou eleitoral. O presidente da associação,  o prefeito de Pão de Açúcar ,Jorge Dantas (PSDB) disse que “não há conotação eleitoral até porque a própria presidenta Dilma acatou a proposta de aumento de 1% no FPM que está aguardando votação no Congresso. No Senado, por empenho do Senador Renan Calheiros foi votada em tempo recorde. Na reunião, prefeitos vão definir estratégias administrativas para tentar superar as dificuldades financeiras e equilibrar as finanças”.

Agora é esperar. Renan Calheiros fez a parte dele e os prefeitos também. É pouco provável que o protesto afete as eleições para presidente em Alagoas, mas essa questão deve ganhar força no Congresso Nacional a partir da próxima semana. Até porque as eleições municipais já estão entrando na ordem do dia.