Téo Vilela recebe convite para disputar vaga no TCU
   13 de novembro de 2014   │     2:06  │  2

Descontraído, trajando camisa de mangas curtas, calça jeans e calçando uma bota esportiva, Teotonio Vilela Filho embarcou no helicóptero oficial do Estado, a aeronave Número 1, às 9h30 da manhã dessa quarta-feira, 12, para vistoriar obras que estão sendo executadas pelo Estado.

Sorriso aberto, bom humor (bem diferente dos dias mais tensos, quando costuma mostrar os nervos à flor da pele) o governador Téo Vilela demonstra disposição e revela que tem trabalhado de 12 a 14 horas por dia nas últimas semanas. Tudo porque faz questão de inaugurar todas as obras (dentro do possível) que estão sendo realizadas no seu governo. Fui convidado para acompanhar o governador.

A bordo da aeronave, ele apresenta, com a ajuda do secretário de Infraestrutura, Marcos Vital, as obras inspecionadas no dia: a construção de um trecho de 6 km de pista dupla entre o aeroporto de Maceió e o Benedito Bentes, a estrada da Flamenguinha, uma nova rodovia de 28 km que está quase 90% pronta, e várias outras rodovias no litoral norte que estão sendo reconstruídas, passando por cidades como São Luiz do Quitunde, São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras e Japaratinga, entre outras.

Em Porto da Rua, na parada para o almoço, Téo Vilela fala sobre passado e futuro. O lugar escolhido para o “rango” ajuda o governador a descontrair ainda mais. Encravado na areia da praia, de frente para o mar, com decoração rústica, o restaurante Luna, tocado pelo chef Edgar, serviu lagostas e camarões na entrada. Os pratos de frutos do mar, moqueca e peixada ao molho de camarão aguçaram a fome e levaram todos ao excesso. E que excesso…

Aproveitei o clima para abordar algumas questões. A relação com Renan Filho, o futuro político, o balanço do governo. Falei, claro, sobre política e, principalmente, sobre os burburinhos do momento.  Um deles, me confirmou o governador, é real: ele estaria sendo “sondado” para disputar a vaga de ministro do Tribunal de Contas da União no lugar do ministro José Jorge, que vai se aposentar no próximo dia 15.

José Jorge participou, nessa quarta-feira, 12, de sua última sessão como ministro do TCU. Enquanto ele ensaiava a despedida, Vilela recebeu uma ligação do também ministro do TCU José Múcio Monteiro.

O pernambucano Zé Múcio disse a Téo Vilela que ele seria o candidato de consenso dos atuais ministros do TCU que preferem ele a Idelli Salvatti, ex-ministra das Relações Institucionais.

Na avaliação de Múcio, Vilela seria consenso no TCU e poderia ser aprovado, com “folga” no Senado. E o que me disse o governador: “é verdade sim. Recebi a ligação do Zé Múcio, que é meu amigo e ele disse que meu nome seria de consenso”.

Emendei a pergunta: seria? Vilela colocou a questão na condicional. Apesar de “honrado” com o convite ele disse que toparia disputar a vaga em outro momento: “para 2015 não dá. Vou tirar um ano para mim e minha família. São 28 anos de mandato ininterrupto e preciso descansar”, explicou.

“Eu disse ao Zé que se o convite for para 2016 eu topo, mas não sei se o cavalo passará selado novamente”, ponderou o governador.

Cá para nós, continuo incrédulo. Como assim, recusar a chance de ser ministro do TCU? São mistérios de Téo Vilela, o mesmo que desistiu de disputar a eleição e preferiu ficar no governo até o final, que só iremos descobrir mais a frente. Bem mais a frente.

Teo Vilela posa para fotos com o chef Edgar, do restaurante Luna, em Porto da Rua

Teo Vilela posa para fotos com o chef Edgar, do restaurante Luna, em Porto da Rua

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

Comments are closed.