Renan Filho deve extinguir até 8 secretarias de Estado  
   22 de novembro de 2014   │     19:03  │  7

Uma máquina mais enxuta e mais eficiente. É com esse objetivo que o governador eleito traça o projeto de reforma administrativa que vai colocar em prática já a partir do 1º dia de governo.

Atualmente o Poder Executivo de Alagoas tem 24 Secretarias de Estado, embora algumas pastas – é o caso da Secretaria Executiva do Governar tenham uma estrutura mínima.

Renan Filho (PMDB) ainda está definindo o tamanho, buscando o melhor modelo para o estado, mas sem perder de vista as necessidades de composição política, até porque ele sabe que ninguém – ninguém mesmo  – governa sozinho.

“Quero uma máquina mais enxuta. A redução no número de secretarias vai gerar mais economia para o estado. E não é só isso. Quero e ter condições de acompanhar tudo, pessoalmente, de ver como anda o desempenho de cada pasta e conversar com os secretários regularmente, o que fica difícil com o número atual de Secretarias”, diz o governador eleito.

Renan Filho imagina que o governo vá ficar com um número entre 16 e 18 secretarias de estado. Ele deve anunciar já nos próximos dias quais pastas devem passar por um processo de fusão, exceto a pastas de Articulação Política e Articulação Solcial, que serão extintas.

“Estamos estudando qual o melhor modelo. Não vamos excluir as secretarias, vamos integrá-las para reduzir os custos para o Estado. Ficaremos com menos de 20 pastas. Com o enxugamento da máquina, será possível fazer mais investimentos. Vou recriar a secretaria de Esportes porque o esporte promove a integração das pessoas e o estado mais violento do país não pode abrir mão disso”, disse Renan Filho

Cenários possíveis

Nas Pastas que formam, junto com PGE e CGE o “núcleo duro” do governo não deve haver grandes alterações. Fazenda, Gestão, Gabinete Civil, Infraestrutura, Gabinete Militar, Comunicação, Gestão Pública, Planejamento, Educação e Saúde devem ser mantidas com o mesmo nome e funções.

Para essas Secretarias o governador eleito deve indicar técnicos ou pessoas de sua confiança. Nas demais, é possível sim que trabalhe para contemplar politicamente a sua base de apoio.

É possível imaginar a fusão da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) com a Secretaria de Defesa Social.

Outra fusão viável pode incluir Secretaria da Agricultura, Secretaria de Pesca e, possivelmente, Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

As Secretarias de Turismo, do Trabalho e de Ciência e Tecnologia  podem se fundir com a área de Desenvolvimento Econômico (hoje no Planejamento) e formar uma nova Pasta.

Articulação Política e Articulação Social como já se sabe serão extintas. Contou? Essas treze Secretarias serão reduzidas, provavelmente, a seis ou sete.

O governador já disse que vai criar a Secretaria de Esportes. Nesse caso ele pode criar uma Pasta isolada ou promover a fusão com a Cultura ou Sepaz, que também tem propostas de disseminar a cultura de paz e o combate a violência, através de suas ações.

A Sepaz também pode se fundir com Secretaria de Assistência Social e Secretaria da Mulher e Cidadania.

COMENTÁRIOS
7

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Menos Terceirizadas

    Realmente ele tem que reduzir, só não dá pra enfiar as terceirizadas em tudo que é canto né, como na Eletrobras, Infraero.

  2. João Batista

    Senhores, só depois de meus 50 anos de idade e de muito esperar por melhores governantes administradores no Brasil é que vim entender que nossos políticos não são culpados pelas mazelas da administração brasileira. Todos nós, sejamos políticos ou cidadãos comuns, simplesmente tivemos uma formação escolar péssima e continuamos ter. Por isso não temos educação financeira nem ferramentas que nos faça ser honestos e transparentes administradores. Por essa carência nunca saberemos quando estamos sendo corruptos ou não. Que coisa!!!

  3. jose antonio dos santos

    hÁ MAIS DE UMA DÉCADA, uma placa na entrada do Porto de Jaraguá indicava: ” MENDES JÚNIOR TRADING, obra no Porto de jARAGUá, vários milhões”, pouco tempo depois a placa foi retirada, os recursos público ninguém sabe se foram gastos de forma correta, sem corrupção….

  4. jose antonio dos santos

    O Prefeito Rui Palmeira alega redução de 40% do FPM. Para quem até agora pouco ou quase nada fêz na sua gestão a situação tende a piorar. Salva-se apenas, o Secretário da Infraestrutura Roberto Fernandes.

  5. José Ferreira

    O medo de gestão pública brasileiro é federativo. A União (governo federal) promove repasses aos entes federados (estados). Uma das exigências são a pastas exclusivas na administração direta (secretarias).
    Pesca, turismo, ciência e tecnologia, trabalho, ação social, agricultura, por exemplo, não podem ser dirimidas, fundidas ou aglutinadas.
    Portanto será difícil mechas nessas sob tal perspectiva.
    Agora, PGE,CGE, Gabinete Civil, Gabinete Mulitar deveria todas ser aglutinadas na atual SEGESP (Secretaria de Gestão Pública). Economia está aí.
    Também de nada adianta fusão de secretaria com a criação de agência, empresas públicas, autarquias ou fundação, como por exemplo voltar a criar a EMATUR para substitutir a secretaria de turismo, ou então unir ITEC e FAPEAL para fazer uma superestrutura na ciência e tecnologia.

  6. jose antonio dos santos

    Portugal também tem politico ladrão, corrupto. O Ex-Primeiro Ministro José Sócrates foi preso hoje por roubo de dinheiro público, fraude fiscal. Essa família chamada de “políticos ladrões” está presente em todo mundo. Enganam sempre o povo com promessas mentirosas que nunca são cumpridas.Eita, raça da peste!.

  7. jose antonio dos santos

    Eventualmente, no Brasil figuras se destacam por seus atos, suas atitudes e êste é o caso do Juiz Federal Dr. Sérgio Moro da Operação Lavajato. Teve a coragem de mandar para a cadeia os maiores empreiteiros do país, grupo criminosos que criaram mais de 300 empresas, tõdas para assaltar os cofres do dinheiro do povo. TÔDAS LEGALIZADAS PARA PARTICIPAREM DE OBRAS Públicas, E O MAIS GRAVE, 70% DAS OBRAS DA PETROBRAS, não foram licitadas.

Comments are closed.