Após reunião com Dilma, Carimbão avisa que meta será mudada
   2 de dezembro de 2014   │     15:50  │  0

A sessão convocada pela Câmara Federal para esta terça-feira, a partir das 18h, deve prosseguir até esta quarta feira, 3, pela manhã.

“Estamos mobilizando todas as bancadas para garantir a aprovação de projetos de interesse do governo, especialmente o que prevê alteração no superávit da meta fiscal na LDO”, aponta.

Carimbão participou, nessa segunda-feira a noite, de reunião de líderes com a presidente Dilma Rousseff e avisa que a mobilização será geral: “toda a base aliada está sendo convocada, incluindo os governadores eleitos que terão a tarefa de  convocar suas bancadas para a votação que vai começar nesta terça a noite e só deve acabar na quarta de manhã”, explica.

Entenda o caso

De acordo com o G1, o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), afirmou, após encontro de líderes da base aliada com a presidente Dilma Rousseff, que ela fez um pedido “especial” aos parlamentares para que votação nesta terça (2) do projeto que prevê alteração na meta de superávit primário na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

A proposta foi aprovada pela Comissão Mista de Orçamento e deveria ter sido votada pelo plenário do Congresso Nacional na última semana, mas, por falta de quórum, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), adiou a votação para esta terça.

“A presidente abordou o tema [votação da alteração da LDO] de forma muito feliz, e criou um ambiente de reconhecer o esforço que a base vem fazendo para superar os obstáculos que já superou e fez um pedido especial para que a base entre com toda a força em campo e nós consigamos, que nós tenhamos amanhã um quórum capaz de enfrentar a obstrução da oposição”, disse o líder no Palácio do Planalto.

O governo enviou o projeto ao Congresso sob o argumento de que necessita ajustar as metas fiscais diante do fraco resultado das contas públicas até setembro deste ano, efeito do aumento das despesas em um ano eleitoral e do comportamento modesto da arrecadação, motivado pelo baixo ritmo de crescimento da economia e das desonerações de tributos.

“A base está bastante comprometida, e a nossa expectativa é muito positiva para a votação de amanhã. Eu compreendo que nós tivemos duas vitórias, vencemos na CMO com o apoio da base, vencemos a análise dos vetos, mas sofremos um pequeno tropeço na hora de votar o projeto da LDO”, disse.

Fontana afirmou ainda que o líder do PMDB na Casa, Eduardo Cunha (RJ) – que deve disputar a Presidência da Câmara em 2015 – também “reafirmou o compromisso” da bancada em votar favoravelmente ao projeto enviado pelo governo. Ao comentar o “tropeço” na sessão da semana passada, o parlamentar afirmou que não se pode fazer da falta de quórum o centro da análise e se disse otimista para a votação desta terça.

“Diálogo”

Com a conversa com líderes governistas, a presidente Dilma começou a cumprir a promessa de estabelecer um diálogo mais intenso com os parlamentares. A presidente também autorizou a liberação de emendas parlamentares de até R$ 700 mil por cada deputado.

Quem foi

Participaram do encontro, pelo PT, os senadores José Pimentel (CE) e Humberto Costa (PE) e os deputados Henrique Fontana (RS) e Vicentinho (SP). Pelo PMDB, os senadores Eduardo Braga (AM) e Eunício Oliveira e o deputado Eduardo Cunha (RJ). Pelo PSD, o deputado Moreira Mendes (RO). Pelo PP, o senador Benedito de Lira (AL) e os deputados Eduardo da Fonte (PE) e Aguinaldo Ribeiro (PB). Pelo PROS, o deputado Givaldo Carimbão (AL). Pelo PDT, o senador Acir Gurgacz (RO) e o deputado Félix Mendonça Júnior (BA). Pelo PTB, o senador Gim Argello (DF) e o deputado Jovair Arantes (GO). Pelo PCdoB, a senadora Vanessa Grazziotin (AM) e a deputada Jandira Feghali (RJ). Pelo PRB, o senador Marcelo Crivella (RJ) e o deputado George Hilton (MG). Pelo PSC, o deputado André Moura (SE). Pelo PTB, o deputado Antônio Brito (BA). Pelo bloco PR, PTdoB, PRP, o senador Alfredo Nascimento (AM).