Dilma corta verbas e Téo não fará inauguração do Canal do sertão
   4 de dezembro de 2014   │     23:26  │  2

Maior obra hídrica em execução em Alagoas e uma das maiores do Brasil, o Canal do Sertão, corre o risco ser paralisada por falta de repasse dos recursos federais.

Diante do quadro, o governador Teotonio Vilela Filho deve deixar o governo sem inaugurar o segundo trecho do Canal do Sertão. Não por falta de vontade, mas por falta de grana mesmo.

Os atrasos já passam dos R$ 150 milhões. É uma realidade nova para o governo e para as construtoras. Até setembro, antes das eleições, o governo federal costuma antecipar parcelas ou pagava logo  após as “medições”. Depois da eleição a situação se complicou e obra está num ritmo bem mais lento, quase parando, por falta de repasses do governo federal.

Mesmo que não inaugure o novo trecho, até o km 92, Vilela programa uma visita a obra para tirar fotos e “carimbar” seu esforço para torná-la realidade. Ele costuma dizer que independente de inauguração, não tem medo que tirem seu  “carimbo” da obra. Ele acredita que alagoano sabe que ele viabilizou o projeto com o senador Renan Calheiros.

Segundo informações do governo a obra já está próxima  do trecho de 120, mas só seria viável inaugurar o canal, em condições operacionais, até o km 92. Mas isso só vai ocorrer se a presidente Dilma Rousseff atender os apelos do governador e voltar a liberar os recursos.

Os atrasos do governo federal no pagamento de obras não é exclusividade do Canal do Sertão. Vários outros projetos que dependem de recursos federais no estado estão parando, por falta de “oxigênio”.

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Há Lagoas

    Vão dizer que este atraso é culpa do governo estadual, afinal, Dilma sempre foi a favor do desenvolvimento de Alagoas…
    Espero que, com a “ascensão” de Renan Filho essa obra seja finalmente concluída, isso se o Brasil não quebrar!

  2. roberto paiva

    PREZADO JUNIOR
    Sempre que te encontro sugiro que você comente as derivações do canal do sertão com relação a utilização de agua para consumo humano; para consumo animale principalmente para irrigação. ISTO é uma verdadeira caixa preta do governo do estado ninguém sabe onde esta disponível essas informações .Tenho individualmente feito algumas visitas as obras do canal parece algo já abandonado não sabe-se qem é o dono;TODO mundo entra tira agua com moto bomba toma banho.falta um órgão gestor , falta fiscalização parte das terras já estar ocupada pelos movimentos sócias do campo.FICA nitidamente comprovado que o GOVERNO DO ESTADO, A CODEVASF E O PROPRIO GOVERNO FEDERAL so pensam na obra física , nada foi feito de concreto de utilização da agua nos techos em que ela já estar disponível.OU isto so vai ser discutido quando o canal chagar em Arapiraca? SEM comtar que todos os afluentes do velho chico estão com suas nascentes assoriadsa ,desmatadas, não existe preservação das matas cliares.E UMA GRANDE FARSA ALEGAR QUE O VELHO CHICOE POTENTE E EXUBERANTE DEVIDO AS AGUAS DE CHUVA. não toda exuberância do rio da integração nacional e fruto da riqueza de todo o aquífero,que infelizmente tende a desertificação devido principalmente ao governo daBAHIA com enormes adutoras para irrigar soja.
    FALTA a presença da agencia nacional de agua em toda essa discussão elogio a luta quase inglória do comitê da bacia do são Francisco através do nosso querido ANIVALDO MIRANDA.
    O DILEMA e a real possibilidade de a transposição e o próprio canal do quando estiverm prontos para inuguraçao já não mais se tenha agua para abastecelos

    .

Comments are closed.