Duratex e Caeté anunciam investimento de R$ 72 milhões em Alagoas
   5 de dezembro de 2014   │     14:27  │  1

O que era apenas uma possibilidade acaba de se transformar em uma alternativa real para substituir a cultura da cana-de-açúcar em Alagoas, especialmente nas áreas de encosta consideradas de alto custo operacional e economicamente inviáveis para a atividade atualmente.

Nesta sexta-feira dois importantes grupos anunciaram uma joint venture com o objetivo de criar uma base florestal “mirando o abastecimento” de uma futura fábrica de painéis MDF a ser instalada na região.

A Duratex Florestal, subsidiária da Duratex, e a Usina Caeté, do ramo sucroenergético, vão investir, R$ 72 milhões até 2020 na nova empresa, formada meio a meio – a Caetex Florestal.

O negócio surgiu a partir da busca do empresário Fernando Farias, diretor da Caeté,  por alternativas para o melhor aproveitamento das terras da Usina Cachoeira.

Localizada em Maceió, a usina tem grandes áreas de cana cultivadas em encosta. Apostando no futuro, Farias iniciou, com o apoio do governador Teotonio Vilela Filho e do presidente da Federação das Indústrias, José Carlos Lyra, um projeto de introdução do eucalipto nas áreas da usina.

As áreas experimentais, plantadas há cerca de 5 anos, revelaram que o eucalipto tem um desempenho de até 70 m3 por hectare, bem acima  da média nacional, de 40 m3. Foi a partir dos primeiros experimentos que a Caeté iniciou a parceria, já no plantio, com a Duratex.

A partir de 2013 e já antevendo o futuro do negócio, a Caeté iniciou o plantio de eucalipto em áreas que antes eram cultivadas por cana-de-açúcar. Atualmente a área plantada na usina já ultrapassa os 3,5 mil hectares.

A meta, com a Caetex Florestal, segundo o empresário Fernando Farias, é plantar entre 13 mil e 15 mil hectares de eucalipto nos  próximos anos.

Ele lembra que além do aproveitamento na indústria de MDF, as florestas podem ser aproveitadas na geração de energia e em vários outros negócios, abrindo oportunidade de investimentos para  outros grupos empresarias, fornecedores de cana-de-açúcar e produtores rurais.

O anúncio do negócio, feito pela Duratex, que tem ações na Bovespa, ganhou destaque nos principais veículos econômicos do país e do mundo.

Veja a seguir a reprodução de trecho de reportagem de capaz do Valor Econômico desta sexta-feira, 5:

Duratex faz parceria em florestas para abastecer futura fábrica

A Duratex fechou parceria para a criação de base florestal de eucalipto em Alagoas, mirando o abastecimento de sua futura fábrica de painéis MDF a ser instalada na região. A Duratex Florestal, subsidiária da Duratex, e a Usina Caeté, do ramo sucroenergético, vão investir, em conjunto, R$ 72 milhões até o fim de 2020 na joint venture Caetex Florestal.

“A Duratex mantém o olhar de longo prazo”, afirma o presidente da companhia, Antonio Joaquim de Oliveira, ao ser questionado sobre a razão de apostar na expansão de painéis de madeira num momento em que esse mercado não justificaria novos investimentos. “A nova fábrica poderia ser estabelecida a partir de 2018 ou 2019”, conta. Será a primeira unidade de produção de painéis de madeira no Nordeste.

A capacidade da fábrica ainda não está definida, mas a Caetex produzirá madeira suficiente para abastecer fábrica de 350 mil metros cúbicos, de acordo com o executivo. “É uma oportunidade de fazermos a formação de uma base florestal numa região em que as terras são caras e raras”, conta o presidente da Duratex.

A maior parte das áreas pertence à Usina Caeté e outra parcela será arrendada por 39 anos.

A Usina Caeté deu início, no ano passado, ao plantio de 4 mil hectares do total de 13,5 mil hectates “para permitir a hipótese” de formação da joint venture, de acordo com o presidente da Duratex. A floresta está próxima à BR-101 e do Porto de Maceió.

Se a fábrica não for implantada por alguma razão ou tiver as operações postergadas, a Caetex poderá vender madeira para projetos de energia do Nordeste, além de exportar a matéria-prima para a Europa.

O Nordeste é a região do país em que as vendas de painéis de madeira têm apresentado as maiores taxas de crescimento. “O volume de MDF consumido hoje no Nordeste já é do tamanho de uma fábrica”, diz Oliveira. Segundo ele, a Duratex está conversando com clientes fabricantes de móveis que já fornecem para a região sobre a possibilidade de instalação de um polo moveleiro nas proximidades da futura fábrica.

A floresta e a unidade de Alagoas fazem parte do planejamento estratégico traçado pela Duratex para até 2020, com a expectativa de manter e, “se possível”, aumentar a rentabilidade da companhia, de acordo com Oliveira. O planejamento estratégico tem como base o crescimento orgânico e a internacionalização.

Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/3805396/duratex-faz-parceria-em-florestas-para-abastecer-futura-fabrica#ixzz3L2mg44qY

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Juliano Silva

    Caro Edivaldo Junior, a sua informação sobre a produtividade do eucalipto está equivocada. Essa produtividade (70 m3/ ha) se refere a uma quantidade anual média do desenvolvimento da floresta, a produtividade no primeiro corte ( em torno de 06 a 08 anos) pode ser entre 350 a 450 m3 de eucalipto por hectare. Só assim o projeto se torna viável.
    Espero ter contribuído!

    Um grande abraço,

Comments are closed.