Em visita a Alagoas, comitiva chinesa avalia perspectivas de negócios
   12 de dezembro de 2014   │     15:41  │  0

A comitiva de executivos da montadora chinesa Beiqi Motors Co. Ltd, representada nacionalmente  pela Foton Aumark, está passando pelo Brasil para avaliar o progresso do projeto Foton Caminhões. Eles estiveram em Alagoas na quinta-feira para um encontro com jornalistas. O vice-presidente da  Foton Internacional,Qian Zijun, falou sobre as perspectivas de negócios da Foton para o país.

Qian Zijun destacou as pretensões da marca por todo o país. “Já conseguimos nacionalizar o primeiro caminhão com 65% de componentes nacionais e com isso pretendemos ganhar mais espaço e cofiança do consumidor brasileiro. Em Guaíba/RS,  temos o processamento da primeira fase do projeto de construção  da montadora Foton no país que deve inciar produção em 2016”.

A companhia, de acordo com Qian, pretende avalizar a vinda de instituições financeiras chinesas para o Brasil. “Existe interesse dos bancos chineses em atuar no mercado brasileiro. Também poderemos contar com esse fator para facilitar as negociações com os produtos da marca”, informa.

O encontro da comitiva chinesa com jornalistas ocorreu na sede da Mundial Caminhões, concessionária dirigida pelos empresários Téo Vilela Neto, Luiz Carlos Bertho e Marcelo Andrade.

Foton Aumark

A Foton possui 13 fábricas espalhadas pelo mundo e recentemente o Foton 10-16DT foi eleito o melhor  caminhão semileve comercializado no Brasil.  A boa aceitação no mercado brasileiro, segundo o sócio-diretor da Mundial Caminhões, Luiz Carlos Bertho também abriu possibilidades de atuação em outros nichos do mercado.

“O projeto de vendas e fabricação de caminhão Truck já está sendo analisado, a fabricação de caminhões pesados e possibilidades de fabricação de veículos de pssageiros e pick-ups também já se encontram no plano de intenções”, detalhou.

Com 27 concessionários no Brasil, a Foton segue ampliando sua rede, com previsão de alcançar 56 representantes até o fim de 2105. Em Abril deste ano, a empresa iniciou as obras de sua fábrica no Brasil, com capacidade de produção de 20 mil caminhões por ano e plano de exportação para os países do Mercosul e parte da África.

chineses na mundial