Laticínio Sabe, de SE, prejudica produtores de leite de Alagoas
   6 de janeiro de 2015   │     15:57  │  1

Instalada em Muribeca, Sergipe, a indústria de laticínios Sabe Alimentos Ltda,  suspendeu, sem aviso prévio, a captação de leite de produtores de Alagoas, desde o último dia 1º.

A empresa, do Grupo Albano Franco, captava um número entre 60 mil e 100 mil litros de leite por dia no estado, segundo informações de produtores da região da bacia leiteira. Ninguém sabe ao certo o volume da captação ou o número de produtores prejudicados.

O Sindicato dos Produtores de Leite (Sindileite) fez uma consulta à empresa, em busca de números oficiais, mas até o momento não houve resposta.

Centenas de produtores estão no prejuízo. A suspensão, explica  Antônio Nelinho, de Jacaré dos Homens, foi repentina: “eles já tinham reduzido o preço do leite que era de R$ 1,05 em novembro , para R$ 0,95 no começo de dezembro e já no final do ano estavam pagando a R$ 0,79 por litro. Para piorar, no começo do ano avisaram que não iriam pegar mais nosso leite”,  desabafou.

O presidente da Cooperativa da Produção Leiteira de Alagoas, Aldemar Monteiro, lamenta o “abandono” sofrido pelos produtores: “não é  a primeira vez que isso acontece. Perdigão, Sadia, Nestlé,Bom Gosto, essas e outras grandes empresas vem pegar o leite aqui quando precisam e depois deixam o produtor na mão. O governo do estado precisa tomar uma providência”, alerta.

Além da perda dos produtores,  a venda do leite in natura causa perdas na economia do estado, explica Monteiro: “o alagoano vende o leite por R$ 1 e depois compra por R$ 4. Isso acontece porque os laticínios do estado estão sendo prejudicados e não conseguem colocar seus produtos nas grandes redes de supermercados”, aponta.

O presidente da Associação dos Criadores de Alagoas, Domício Silva, foi informado de que o problema com a Sabe seria provisório: “eles dizem que a suspensão seria por um perídio curto, de cerca de 15 dias, por conta de manutenção e conserto na indústria”, disse.

Ainda assim, Domício Silva está preocupado e em busca de respostas: “é importante saber qual o volume de leite, quantos produtores e qual o período da suspensão e não´so vamos cobrar essas respostas da empresa”, adianta.

A Sabe Alimentos iniciou sua produção comercial em abril de 2012. A fábrica trabalha com de Processamento de Leite/derivados em UHT (Longa-vida) e Leite Condensado e tem forte presença no mercado alagoano. Seus produtos estão à venda nas principais redes de supermercados de Alagoas – Extra, Bompreço, GBarbosa e Unicompra, entre outros.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. montenegro

    Porquê o governo do Estado deve interferir em assuntos privados?
    Quando td está bem ninguém pensa no governo. Da mesmo forma é lamentável q o governo, ao invés de investir em sedes dignas para a segurança investe R$ 32 milhões em uma sede para uma empresa privada, a tal de Alma Viva e por causa dessa “moleza”, outras querem vir. E quem ñ quer?

Comments are closed.