‘Fritado pela imprensa’, Adriano não vai mais para a Arsal
   15 de janeiro de 2015   │     13:13  │  4

Depois de servir ao governo de Téo Vilela por duas gestões, o ex-presidente do IMA, Adriano Augusto de Araújo Jorge, seria ‘premiado’ com a presidência da Agência Reguladora de Serviços de Alagoas (Arsal), que tem poder de fiscalização semelhante ou até maior do que o Instituto do Meio Ambiente de Alagoas. Seria.

Para presidir a Arsal é preciso ter o nome apresentado pelo  governador do estado e aprovado pela Assembleia Legislativa. Augusto venceu a primeira etapa. Seu nome foi para a ALE, mas faltou articulação – dele ou da gestão anterior – para encaminhar a votação.

Sem trânsito no  novo governo e  “fritado pela imprensa”, como bem definiu uma colega de profissão, Adriano não vai mais para a Arsal.

A “fritura” de Adriano, foi registrada em todos os sites do estado, inclusive neste blog. Ele foi flagrado em escutas da Polícia Federal durante a Operação Ouro de Tolo e foi condenado, pelos juízes da 17a Vara Criminal, a 5 anos de reclusão em regime semiaberto sob acusação de fraude em licitação e formação de quadrilha (http://wp.me/p2Awck-2e9).

O Palácio dos  Palmares confirmou que o governador Renan Filho fará a indicação de um novo titular para a presidência da Arsal.  Quem será? Ainda hoje revelo o nome do “escolhido”.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Mirela

    Esse Renan já tá dizendo para que veio, quem desse secretariado é Indicação Técnica mesmo? Rsrsrs. Só vejo apadrinhados e políticos dominando esse governo. Perdi meu voto, Hoje sei que QUEM RESOLVE É O BIUU

  2. Deise

    Será que nosso governador, eleito pela sociedade que acredita na Mudança vai querer o Sr. Adriano de volta ao IMA depois do grande escândalo que envolveu seu nome tão recente e de forma agravante. Esse é o governo da Mudança ?

  3. Fernando

    A Imprensa, “desta vez”, nāo fritou ninguém. Só no Brasil, uma pessoa condenada a cumprir pena, é indicado pelo próprio governador para um cargo público.

Comments are closed.