Renan Filho vai reduzir, por acordo, duodécimo de todos os poderes
   19 de janeiro de 2015   │     19:36  │  5

O governador dedicou parte do dia desta segunda-feira, 19, para conversas com representantes dos demais poderes e instituições que tem direito a receber duodécimo do   estado.

Renan Filho fez um apelo aos representantes dos demais poderes e instituições e conseguiu, na base do acordo, algo inédito na história recente da  política alagoana: a redução negociada do duodécimo.

Sem entrar em detalhes, o governador revela que a redução será da ordem de R$ 20 milhões. O valor será distribuído, proporcionalmente e vai atingir o Tribunal de Justiça, a Assembleia Legislativa, o Tribunal de Contas,  o Ministério Público Estadual e a Defensoria Pública Estadual.

O valor será reduzido da proposta do Orçamento para 2015, que foi encaminhada para a Assembleia Legislativa em 2014, pelo ex-governador Teotonio Vilela Filho.

Renan Filho explica que as medidas adotadas pelo governo  (redução  no número de secretarias e cargos comissionados, cancelamento de contratos e corte de gastos), além e a realidade financeira do do Estado e do país ajudaram a convencer os representantes dos demais poderes a aceitar a proposta de redução do valor do duodécimo.

“Não é fácil cortar gastos. Ninguém gosta de ver o Orçamento ou o duodécimo reduzido. Mas diante do exemplo que demos, das dificuldades que enfrentamos, houve uma compreensão dos demais poderes. Agradeço a todos pelo sacrifício e entendimento de que as medidas vão ajudar o Estado a melhorar os serviços prestados aos alagoanos. Essa é uma medida necessária na atual realidade de Alagoas”, enfatiza o governador.

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. carlos silva

    Que adianta dizer que está cortando despesas, de um aumento inimaginável que foi dado pelo governo anterior. Só pauta fictícia. outra coisa é relativo a diminuição dos PMs nos gabinetes. Rui Palmeira se diz o político integro e sensato. E porque esta com a bacia na mão pedindo ao Governador militar para servir de babá para ele? Prefeito tu já tem sua guarda municipal…Não se humilhe não. A batata esta só começando. Se o Governador ceder é só mais um discurso para enrolar a impressa e nos alagoanos.

  2. jonas freitas

    Olha , tem que se fazer isso…É muito importante, ou se faz isso , ou , o estado fica ingovernável,meu… Os municípios tem que se fazer o mesmo. Tem-se que cortar gastos: metade dos salários dos prefeitos e vereadores. Tem que administrar esses municípios como se administra empresa privadas.

  3. José Gonçalves

    A Administração Pública tem que se mover com um foco: o cidadão. Como esses poderes, a maioria, são ensimesmados,não têm nenhuma preocupação com os cidadãos – contribuintes, na ótica deles, pelo menos é assim que se comportam, achei até tímido, o corte.
    Exemplo: o duodécimo da assembléia aumentou exponencialmente na gestão theo, de pouco mais de 100 milhões para quase 200, e mesmo assim, o que foi feito de útil para a sociedade? Um verdadeiro saco sem fundo. Esses 20 milhões deveria ser reduzido somente da assembléia.20/12=1,6. 1,6 milhão/mês, a menos, não teria um impacto pequeno, quase imperceptível.Acorda povo!

Comments are closed.