Marcelo Beltrão quer consenso na AMA, mas descarta redução de mandato
   20 de janeiro de 2015   │     19:49  │  0

Candidato a presidente da Associação dos Municípios Alagoanos, Marcelo Beltrão, do PTB, defende o consenso. Foi assim quando disputou o cargo pela primeira vez, em 2013.

Em nome do entendimento, Marcelo fechou um acordo com o prefeito Jorge Dantas (PSDB), de Pão de Açúcar, atual presidente da AMA. Cada um assumiria o mandato por um ano.

A eleição em janeiro de 2013 foi em chapa única e os dois tiveram 83 votos,  dos 101 prefeitos associados à AMA.

A eleição para a nova diretoria da AMA acontece na próxima segunda-feira, 26. Marcelo avisa, desde já que é candidato a prefeito e que busca o consenso, mas descarta qualquer acordo para encurtar o mandato. “A maioria dos prefeitos não quer, não aceita mais esse arranjo”, adianta.

Se não houver consenso, Beltrão vai enfrentar, nas urnas, o prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Mateus (PMDB), que também faz parte, assim como ele, da base aliada do governo.

“Quero o entendimento, desde que não implique num mandato menor”, aponta. A negociação em torno do consenso, avalia Beltrão pode sim passar pela indicação do candidato a vice. “O nome do vice será escolhido por entendimento da maioria dos prefeitos e pode fazer partede qualquer grupo”, avalia.

Se for eleito presidente da AMA, o prefeito de Jequiá da Praia, promete fazer uma gestão democrática,  abrindo espaço para prefeitos de todos os partidos e mantendo o diálogo e o equilíbrio na relação com governo federal e governo do estado.

Em janeiro de 2013, Marcelo reuniu na sua posse como presidente da AMA, o então governador Teotonio Vilela Filho, o atual governador Renan Filho, os senadores Fernando Collor de Mello e Benedito de Lira, além de deputados estaduais e federais de vários partidos.

Se não houver interferência ou pressão externa, Marcelo deve ser o novo presidente da AMA. Ele tem o apoio da maioria dos prefeitos e bom trânsito no governo do Estado e na bancada federal.