‘Deixamos mais de R$ 900 milhões em caixa para o atual governo’, diz Toledo
   3 de fevereiro de 2015   │     20:52  │  11

Depois de muita expectativa, o secretário da Fazenda, George Santoro apresentou, em entrevista coletiva, nessa segunda-feira, 2, a ‘situação fiscal preocupante de Alagoas’ numa Nota Técnica.

O secretário da Fazenda revelou uma dívida menor do que os R$ 330 milhões que havia anunciado anteriormente: R$ 275 milhões. Deste valor, R$ 120 milhões são da segunda faixa da folha de salário de dezembro e R$ 68,7 milhões relativos a consignados de novembro e dezembro.

Quem reagiu, em nome da gestão anterior, foi o ex-secretário da  Fazenda, Maurício Toledo: “O consignado, por uma questão técnica, só pode ser pago 30 dias depois da folha.  Toda a equipe da Sefaz sabe disso. Essas despesas sempre foram pagas no dia 10 e dia 30 com   o fato gerador do mês anterior”, aponta.

Dinheiro em caixa

Ao analisar a ‘Nota Técnica’ de Santoro, Toledo diz que ele ‘esqueceu’ que o estado recebeu no dia 10 de janeiro mais de R$ 320 milhões de receita (ICMS, FPE e outros) com fato gerador em dezembro de 2014. E também lembra que deixou R$ 28 milhões em caixa, além de R$ 44 milhões devidos pelo governo federal, referentes ao Refis –  que deveriam ser pagos, por determinação do STF em dezembro  e só foram depositados no dia 8 de janeiro passado.

Mais do que isso, cutuca Toledo, o atual governo tem hoje, em caixa, mais de R$ 900 milhões para executar projetos e investir em diversos setores: “é dinheiro em caixa para o atual governo aplicar. Só não pode ser usado para pagar despesas de salários, mas com certeza vai ajudar o governador a executar obras e projetos que são essenciais para Alagoas”.

Alem desses recursos, o atual governo pode recorrer a um empréstimo de R$ 375 milhões no Bando Mundial, avisa o ex-secretário: “conseguimos aprovar no ano passado o empréstimo,  que pode ser utilizado pelo atual governo. Nenhum outro estado no Brasil, hoje, funciona sem  recorrer a empréstimos.  Só não pega dinheiro emprestado quem não pode, por conta de problemas fiscais. Alagoas, como está em ordem, pode fazer empréstimos nacionais e internacionais”, afirma.

Restos a pagar

Maurício Toledo vai além: ‘quando assumimos o estado em 2007 realmente existiam dívidas de restos a pagar e de fornecedores, mas não ficamos somente reclamando. Nós apresentamos um plano, pagamos todas as dívidas e organizamos a casa. Nós deixamos dinheiro em caixa ou para entrar no caixa suficientes para pagar os restos a pagar. As outras despesas a que o atual  governo se refere são continuadas”, pondera.

Maurício Toledo estranhou a inclusão no relatório de “despesas de exercícios anteriores sem cobertura de empenho”, no valor de R$ 12 milhões: “eu recomendo que ele investigue. O estado só se comunica por empenho. O estado não  paga nada sem cobertura de empenho, portanto acredito que ele não deva pagar essas despesas”, aponta.

O valor total de restos a pagar do estado ficou na casa dos R$ 50 milhões, sendo R$ 48 milhões de restos a pagar processados e R$ 2,7 milhões de restos a pagar não processados. Essa é, na prática, a dívida que o Estado deixou com fornecedores.

Para essa despesa, o ex-secretário  diz que deixou, além de R$ 28 milhões em caixa mais R$ 44 milhões de parcela devida pelo governo federal do Refis, que deveria ter sido depositada em  dezembro por determinação do STF, mas só foi depositada em 8 de janeiro deste ano.

Outras despesas

Alguns gastos registrados   na nota técnica, segundo Toledo, simplesmente não  puderam ser pagos em 2014 por conta do funcionamento dos bancos. “Ele lista obrigações junto a fundos (R$ 7,4  milhões) e transferências a municípios (R$ 7,1 milhões), que são referentes a recolhimento feito no dia 30 de dezembro, mesmo que eu quisesse não teria como pagar”, pondera.

Repercussão na mídia

A entrevista de Santoro ganhou forte repercussão na imprensa. Em geral, os sites destacaram dados como: queda na arrecadação do ICMS, dívida com a União de R$ 10 bilhões e aumento das despesas de custeio em 560%. Faltou, talvez, uma leitura mais detalhada dos dados.

A receita de ICMS na verdade cresceu menos, mas não caiu. Já a dívida de R$ 10 bilhões não é novidade para ninguém. Quanto ao custeio, cabe ressaltar que apesar do aumento excessivo (que carece de  explicação da gestão anterior) em alguns setores,  os dados estão incompletos. Faltou informar, por exemplo, despesas com diárias e passagens aéreas.

A entrevista de Santoro e a Nota Técnica estão  nos links abaixo.

http://agenciaalagoas.al.gov.br/noticias/2015-1/2/nota-tecnica-expoe-situacao-fiscal-preocupante-de-alagoas

http://agenciaalagoas.al.gov.br/noticias/2015-1/2/santoro-apresenta-quadro-critico-da-situacao-fiscal-do-estado

Tabela Situacao Fiscal_4

COMENTÁRIOS
11

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Plínio Lins

    Engraçado o secretário Toledo. Ocupou o cargo durante seis anos e nunca deu uma entrevista à imprensa em Alagoas. Achava-se acima dessas coisas, não queria saber de dar satisfações à sociedade nem de submeter-se aos questionamentos da imprensa.
    Agora que já não manda mais na Sefaz, desanda a falar.
    Por que nunca falou antes?

  2. Norma

    Muita piada de Maurício Toledo, só a SESAU tem uma dívida de R$ 60 MILHÕES com fornecedores, todo dia são dezenas na porta do gabinete na esperança de receber o que entregaram de materiais SEM EMPENHO…Ou com empenhos que foram cancelados no fim do exercício!!!

  3. Pedro filho

    A jogada é a seguinte: o atual governo se encheu de promessas durante a campanha. Promessas que não vão poder cumprir, como convocar a reserva técnica da PM e da Educação. Por isso, divulga esses dados, já como desculpa.

  4. jose antonio dos santos

    pOSTEI AQUI NO SEU BLOG, QUE A LUTA DE ANDERSON SILVA FOI UMA MARMELADA, COISA PATROCINADA PELA REDE GLOBO PARA ENGANAR OS BESTAS, VEJA NO QUE DEU, SEGUNDO A IMPRENSA, o caro foi pego no exame anti-doping…

  5. jose antonio dos santos

    As afirmações do ex-secretário Mauricio Toledo parecem ser mais convincentes, o novo secretário importado do Rio de Janeiro e portanto nada conhece de Alagoas precisa calar a boca até ter certeza do que vai falar para não exalar besteiras. É preciso se inteirar de tudo para começar a ter confiança da população!.

  6. Luiz Alberto

    Todo início de governo é essa choradeira. Rui Palmeira fez o mesmo e até hoje seu governo não cumpriu com a sua prioridade de campanha quer foi a saúde. É o um dos piores prefeitos que Maceió já teve. Vive de mídia e mais nada.

    Ao que parece o Renan Filho se encaminha para a mesma tática. Fica culpando o governo anterior e vai esquecendo de enfrentar a realidade. Vamos para com esse blá bla bla e trabalhar.

    Alagoas precisa enfrentar a dura realidade que vive há decadas: miséria, falta de oportunidade, melhorar a educação.

    Enquanto esses “novos” políticos só quiserem aparecer na mídia, gastando milhões em comunicação, a população ficará agonizando, que diga-se de passagem interessar em muito aos políticos atrasados desse estado.

  7. Abelardo

    Afinal de contas quem fala a verdade senhores ? o atual governador diz que ESTÁ NA MISÉRIA de PIRES NA MÃO, o secretário no governo passado diz que deixou em caixa resumindo com restos á pagar entre tantas coisas R$ 900.000.000.00 NOVECENTOS MILHÕES e agora? Bom, se o atual governo está omitindo isso é mal sinal pois está apertando todos os poderes e servidores pois está de cuia na mão e teria dinheiro em caixa , e se for verdade o que o governador diz que está de esmola o que aconteceu com esse dinheiro que o ex-secretário disse ter deixado? Não é uma questão simples e de meros e míseros reais,espero que as nossas autoridades procurem saber o que de fato está ocorrendo……………

  8. luiz paulo sodré

    Sr. Edivaldo,essa deve ser sempre a tônica de um bom jornalista,os fatos.o bom jornalista,batalha e caça sempre em busca da notícia o mais próximo possível da verdade,o julgamento,é feito pelo leitor, que o acompanha,sabendo que será sempre brindado por um jornalismo imparcial sério e verdadeiro.parabéns,uma matéria importante e esclarecedora,a quem interessar possa, que faça seu próprio juízo de valor.

Comments are closed.