Renan Calheiros quer trazer unidade da Embrapa para Alagoas
   12 de fevereiro de 2015   │     17:27  │  0

O presidente do Senado,  Renan Calheiros, recebeu, nessa quarta-feira, 11,  o presidente da Federação da Agricultura de Alagoas, Álvaro Almeida, em seu gabinete, em Brasília. Durante mais de uma hora de reunião, eles trataram de diversos assuntos de interesse do setor produtivo rural alagoano e nacional.

No encontro, o senador disse a Almeida que vai trabalhar para viabilizar a implantação de um Centro de Pesquisas da Embrapa de em Alagoas: “somente três estados do Brasil não tem centro de pesquisas da Embrapa: Alagoas, Rio Grande do Norte e Espírito Santo. O senador está empenhado em trazer para nosso estado um centro de pesquisas da Embrapa”, explicou Álvaro Almeida.

Atualmente a Embrapa tem apenas uma unidade de pesquisas em Alagoas, vinculada a Embrapa Tabuleiros Costeiros, de Aracaju, SE: “um centro de pesquisas instalado no nosso estado terá condições de atender melhor o setor produtivo rural, ajudando a alavancar o desenvolvimento em Alagoas”, defende Almeida.

A reunião de Almeida com Renan Calheiros é tema de reportagem do Suplemento Gazeta Rural, que circual na Gazeta de Alagoas nesta sexta-feira, 13. Veja alguns textos da matéria:

O presidente da Federação da Agricultura de Alagoas, Álvaro Almeida, foi recebido em  audiência, na quarta-feira passada pelo presidente do Congresso Nacional, o senador Renan Calheiros, PMDB-AL.

Na primeira visita ao presidente do Senado, após a sua reeleição, ocorrida no dia 1º deste mês, Álvaro Almeida fez questão de cumprimentar o senador alagoano. “Fui levar pessoalmente o abraço do setor produtivo rural de Alagoas pela sua recondução ao cargo. Tenho certeza que esse é o mesmo  sentimento de todo o setor produtivo e todos os alagoanos”, enfatizou.

Durante a audiência com o presidente do Senado, Álvaro Almeida também conversou com o senador sobre assuntos que preocupam continuam preocupando os produtores de Alagoas: “falamos sobre o programa do leite, a volta da venda do milho pela Conab e a renegociação das dívidas rurais”, aponta.

Leia mais na versão impressa.

alvaro e renan