Reviravolta: governo prorroga contrato do transporte escolar por 6 meses
   6 de março de 2015   │     23:35  │  5

A lei do “passe livre” pode até ser sancionada, mas não entra em vigor agora. O governo do estado decidiu abrir discussão com vários setores da sociedade acerca da proposta. Enquanto busca corrigir possíveis falhas e aperfeiçoar o projeto, o governador Renan Filho decidiu recomendar a renovação do contrato do Transporte Escolar.

A informação é do vereador Silvânio Barbosa, do PSB de Maceió. Aliado do governador, desde o princípio, o parlamentar defende o transporte escolar na capital. Atualmente o serviço é realizado por 99 ônibus, a partir de contrato com o Instituto de Apoio à Gestão Pública e Social – uma Organização Social.

“Cada ônibus tem, além do motorista, um monitor. Se contarmos o pessoal de apoio, são mais de 200  empregos diretos que estavam ameaçados”, explica o vereador.

Barbosa enviou texto para o blog anunciando a novidade: “Gostaria de dividir com vocês a felicidade que estou sentindo agora. A partir de segunda (dia 9), os alunos da rede estadual de ensino voltam às aulas com o transporte escolar pago pelo governo”.

Silvânio diz que medida não  beneficia apenas os estudantes, mas também os monitores e motoristas que já estavam de aviso prévio.  “Parabenizo o Tonho, líder dos transportadores, e os gestores estaduais pela sensibilidade, em especial, o secretário de Educação Luciano Barbosa e o chefe do Gabinete Civil, Fábio Farias que encontraram uma forma de não prejudicar ninguém”.

O vereador diz que “o transporte está garantido por seis meses, até o governo implantar o passe livre de modo que contemple a todos, inclusive os casos excepcionais, como os dos portadores de deficiência”.

Depois de receber a mensagem, via Whatsapp, conversei com o vereador por telefone. Ele elogiou a decisão do governador e lembrou que a implantação do Passe Livre, “um sonho do movimento estudantil” não foi descartada – apenas adiada. “O governo usou o bom senso ao prorrogar os contratos por seis meses. É preciso resolver situações como a dos alunos de até 8 anos, que precisariam ser acompanhados pelos pais, em caso do uso do transporte convencional, e também outras questões como a carência de ônibus no sistema de  transportes públicos em Maceió”, aponta.

Para Silvânio, a decisão do governo foi correta e justa: “além de preservar empregos de vários pais de família, é importante lembrar que o atual contrato de transporte escolar atende as necessidades dos alunos e de suas famílias. Com prazo para discutir melhor a mudança no sistema, o governo poderá corrigir falhas e reduzir gastos sem prejudicar ninguém”, aponta.

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. carlos jorge andrade

    parabenizo o vereador silvanio barbosa,pela sua iniciativa de entender que tanto o aluno necessita do transporte escolar ,quanto os transportadores dependem dessa renda para sobreviver ,e também o governador voltar atrás e entender os dois lados muito obrigado a vcs dirigentes políticos, continuo sendo seu eleitor ,se o governo tá com a visão de reduzir custo observe a minha ideia,eu tenho noção desse contrato do transporte escolar ,o governo pode manter o transporte escolar ativo e reduzir os custo,porque cada ônibus chega um valor de entre 12 e 15 mil mensal e só repassa para os proprietários entre 3,5 a 6 mil reais mensal se for os vinte dias trabalhados então a empresa terceirizada quer ganhar mais de 70 por cento do valor do contrato eu vejo esse lado errado se o governo reduzir 40 por cento resolve o problema , como ele quer reduzir gasto a empresa mantem o mesmo valor dos proprietários dos ônibus e ainda ganha 50 por cento do contrato está bom demais e fica bom pra todo mundo empresa, alunos,transportadores, e governo por favor analize bem este texto obrigado

  2. marcela lemos

    Reforçando o comentário de Luis Paulo Sodré: foi por essa postura, retrógrada e descompromissada com o que é honesto e é certo, que eu não renovei minha assinatura com a Gazeta. Uma decisão que tomei para sempre, sem nenhum medo de estar errada.
    Neste portal, somente leio você, Edivaldo, embora perceba seu “cuidado” com as palavras quando se refere ao Governo Estadual.

  3. Luiz paulo sodré

    Em que planeta vive essa organização? Alagoas é o único estado que contribuiu com três corruptos e mais um deputado de bônus,na lista de Janot,como pode essa organização ter credibilidade quando não publica uma linha sobre o maior escândalo de corrupção do mundo e toda nossa bancada de senadores encabeça essa lista de marginais,e o Sr ? Como se sente em não ter nenhuma independência para praticar o jornalismo sério que todo os os seus leitores,esperam de um bom jornalismo.mas tenho fé em Deus,que apesar do silêncio desse jornal de grande circulação,ainda veremos nesse país a justiça se cumprir,prendendo todos esses corruptos porque desmoralizados já são faz tempo

  4. Carla

    Como não deve está se sentindo o Secretário Luciano Barbosa. Como seria bom se ele entregasse a pasta!!!!!!!!!

Comments are closed.