Renan avisa: PMDB não quer mais espaço no governo Dilma Rousseff
   20 de março de 2015   │     15:43  │  1

Dilma Rousseff começou o segundo mandato fortalecendo outros partidos – entre eles o PSD de Kassab e o PP de Benedito de Lira – para reduzir a dependência do PMDB. Ao que parece a presidente conseguiu isso e um pouco mais.

O PMDB está cada vez mais distante do governo Dilma Rousseff.  Depois da espetaculosa saída de CID Gomes do MEC, líderes do partido se apressaram em dizer que não querem nem a Educação e nenhum outro ministério – além dos já ocupados por peemedebistas.

O presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), avisou que não quer mais cargos e já sinalizou que vai apoiar uma PEC para reduzir o número de  ministérios.

O presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi além e defendeu a redução no número de ministérios e cargos de  confiança. O argumento é simples e poderoso: o governo precisa fazer seu ‘sacrifício’, cortar na própria carne, antes de pedir que a população pague a conta do ajuste fiscal.

Em entrevista ao jornalista Gerson Camarotti, nesta quinta-feira, 19, dia em que a presidente Dilma Rousseff disse que não faria reforma ministerial, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), negou o interesse do partido em ampliar cargos.

“O PMDB não vai procurar ampliar os seus espaços no governo. Pelo contrário, o PMDB acha que já tem ocupado muito espaço, e nós estamos voltados para a construção de uma saída para o Brasil. E eu acho que é isso que está sendo cobrado pela sociedade”, disse Renan.

O senador também defendeu,  na entrevista, a PEC apresentada pela bancada do partido na Câmara para limitar em 20 o número de ministérios.

“Não sei se cria desconforto. O que eu sei é que, para fazermos um ajuste no Brasil, não há como levá-lo adiante sem que haja também o ajuste do setor público. Nós temos no Brasil um excesso de ministérios, de cargos em comissão. Eu acho que, pelo menos enquanto perdurasse a redução da atividade econômica, nós deveríamos, sim, reduzir o número de ministérios e o número de cargos em comissão, consequentemente. Eu acho que, se essa agenda for colocada, ela será uma boa agenda para o país.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. WELLINGTON

    COMO SEMPRE FEZ DURANTE TODA SUA VIDA. RENAN PULA FORA SEMPRE QUE A BATATA ESQUENTA. NÃO É NENHUMA NOVIDADE ESSA PRÁTICA. NÓS ALAGOANOS JÁ CONHECEMOS SEU JEITO DE SER. ONDE TEM UMA MUTRETAS E ONDE TEM PODER ELE SE AGREGA. QUANDO O IBOPE CAI E A MAMATA É DESCOBERTA ELE CORRE COM CELA E TUDO PARA SE AGARRAR AO PRÓXIMO GOVERNO. ESSE É O PRESIDENTE DO CONGRESSO BRASILEIRO DIRETAMENTE DE ALAGOAS PARA O BRASIL. QUE VERGONHA…

Comments are closed.