A pedido da Faeal, governador criar comitê contra a aftosa
   7 de abril de 2015   │     16:35  │  0

Alagoas foi reconhecida internacionalmente, em 2014, como zona livre de febre aftosa, num processo que levou cerca de 15 anos. Agora a preocupação dos criadores do estado é em manter o status.

“Não é tarefa simples. Para isso é preciso que o estado e o setor produtivo continuem atentos,adotando todas as recomendações do  Ministério da Agricultura e da Organização Mundial de Saúde animal”, aponta o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Alagoas, Álvaro Almeida.

O rebanho de bovinos de Alagoas é formado, atualmente, por mais de 1,2 milhão de cabeças, numa cadeia produtiva que envolve mais de 30 mil criadores espalhados por todo o estado. O status de zona livre fortalece a comercialização com outros estados e dá mais garantias aos produtores.

Por conta disso o presidente da Faeal pediu ao governador Renan Filho a criação do comitê de acompanhamento das ações de combate a aftosa.

Álvaro Almeida participou, ao lado de Genivaldo Oliveira, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Alagoas, de uma audiência com o governador Renan Filho, nesta segunda-feira, 06.

“Renan Filho não só  autorizou a criação, como se comprometeu a presidi-lo pessoalmente, numa demonstração de compromisso com o setor produtivo”, explica Álvaro Almeida

Durante o encontro, diferentes assuntos de interesses das duas entidades foram tratados, incluindo o funcionamento de órgãos como Iteral e Emater.

A Agência Alagoas fez texto sobre a reunião. Veja aqui: http://agenciaalagoas.al.gov.br/noticias/governador-discute-agricultura-com-representantes-da-classe-trabalhadora-e-empresarios-rurais

renan filho faeal e fetag