Em defesa do emprego no setor canavieiro, JHC mobiliza deputados na Câmara Federal
   7 de maio de 2015   │     23:08  │  0

Os números são os piores possíveis. Desde 2007 o Brasil viu 83 usinas de cana-de-açúcar entrar em falência ou suspender a operação. São mais de 80 mil empregos perdidos no setor sucroenergético.

Proporcionalmente o estado mais atingido pela crise na atividade canavieira é Alagoas, onde o setor sucroenergético representa cerca de 20% do PIB e é o maior gerador de emprego e renda.  No estado, quatro  usinas fecharam nos últimos três anos, mais de dez mil empregos desapareceram e  a maioria das empresas enfrenta sérias dificuldades financeiras.

A crise do setor sucroenergético é atribuída à política econômica do governo Dilma Roussef que manteve artificialmente o preço da gasolina, afetando diretamente a competitividade de preço do etanol e, por tabela, todo o setor sucroenergético.

O deputado federal João Henrique Caldas, SD-AL, decidiu mobilizar a Câmara Federal para discutir a problemática do setor, em busca de saídas para a crise. “Minha maior preocupação é com o emprego e também, é claro, com a economia de dezenas de cidades do meu estado e de todo o país que sofrem com o fechamento das usinas”, aponta.

JHC é o autor da proposta que transforma a sessão da Câmara Federal em Comissão Geral para discutir a crise no setor canavieiro e participou, nesta quinta-feira, em Brasília, do lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Sucroenergético. “Vamos mobilizar os deputados para buscar saídas para essa crise”, aponta.

Frente reúne líderes do setor

O lançamento da Frente Parlamentar pela Valorização do Setor Sucroenergético reuniu na Câmara Federal, nesta quinta-feira, 07, em Brasília, líderes do setor produtivo e deputados federais.  De Alagoas estavam presentes os presidentes da Asplana, Lourenço Lopes, o presidente da Coplan, Fernando Rossíter, o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira e secretário de Agricultura,  Alvaro Vasconcelos.

Os deputados federais JHC, Carimbão (PROS-Alagoas) e Pedro Vilela (PSDB-AL) também participaram.

Depois do lançamento JHC se reuniu com cerca de 30 líderes do setor produtivo de todo o país para definir como será a mobilização para a Comissão Geral: “foi um encontro importante. Vamos mobilizar juntos os deputados, realizar uma grande sessão, que será o começo de uma nova história para o setor no Congresso Nacional”, aponta.

Quando é

João Henrique Caldas apresentou requerimento para transformar a Sessão Plenária da Câmara dos Deputados em Comissão Geral para debater a crise do setor sucroenergético nacional. A sessão está marcada para o dia 10 de junho e vai reunir produtores de todo o país: “vamos aproveitar o espaço para pressionar o governo federal”, adianta.

O deputado explica que a “Comissão Geral” sobre temas específicos no plenário da Câmara dos Deputados é um dispositivo regimental que confere uma especial atenção da Casa à crise pela qual atravessa o setor sucroenegético nacional. A nossa proposta foi acolhida por todos os líderes, numa demonstração da importância do setor para o país”, aponta.