‘Chegou a hora de ver quem vai entrar no toma lá dá cá’, diz JHC
   11 de maio de 2015   │     15:31  │  0

O ‘jogo de cena’ está no fim. A partir de  agora cada parlamentar  vai ter que ‘mostrar’ a cara para o governo e a sociedade.  “À medida que a votação do ajuste fiscal e outras matérias polêmicas for avançando, vamos descobrir quem  é quem”, reage o deputado federal João Henrique Caldas, SD-AL.

JHC diz que vai ficar fácil descobrir quem quer apenas cargos ou quem tem de fato compromisso com a sociedade: “eu acho que temos de ter coerência. O deputado não pode mudar suas convicções para votar a favor do ajuste  fiscal e contra o povo brasileiro apenas porque está sendo chantageado pelo governo federal com a ameaça da perda de cargos”, enfatiza.

O deputado do Solidariedade diz que não quer cargos do governo federal para poder manter sua independência: “eu vou a ministérios defender os interesses de Alagoas, mas não quero cargos porque infelizmente eles tem virado objeto de chantagem política”, aponta.

Teste de fogo

Alguns partidos que votaram contra o primeiro projeto do ajuste fiscal – a MP 665 – estão ameaçados de perder cargos no governo federal. É o caso do PDT, que votou em bloco contra a redução de direitos dos trabalhadores, e de parte do PP.

Durante esta semana a presidente Dilma Rousseff e o coordenador político, o vice-presidente Michel Temer, vão dar o tom político em negociações  que serão realizadas por bancadas de partidos e pelos estados.

Nesta terça-feira o coordenador da bancada federal de Alagoas, deputado Ronaldo Lessa (PDT-AL) tem uma reunião para definir a indicação de cargos de representação federal em Alagoas.  O encontro com Temer e a forma como ele distribuirá os cargos no estado vai indicar o direcionamento do governo. Ele pode contemporizar, aceitando atos isolados de ‘rebeldia’ ou pode radicalizar, retaliando quem votou contra a MP 665.