Governo Vilela deixa ‘rombo’ de mais de R$ 33 milhões na Saúde
   12 de maio de 2015   │     22:59  │  1

Um grupo de fornecedores de produtos e serviços do Estado fez um novo protesto, nesta terça-feira (12), em frente a sede da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), em Maceió. Eles cobram, informa o Gazetaweb (http://gazetaweb.globo.com/noticia.php?c=394462&e=13), pagamento referente aos contratos firmados em anos anteriores.

“A Secretaria não tem recurso financeiro necessário para nos pagar”, disse um fornecedor, que preferiu não ser identificado.

O problema que envolve o atraso no pagamento de fornecedores da Sesau – anote aí –  é mais grave do imaginam os próprios credores.

Não se trata de restos a pagar processados ou não processados. São, na verdade, processos irregulares, feitos sem empenho ou sem documento de comprovação da  entrega do produto ou prestação do serviço.

“É algo inadmissível no serviço público. O que existia era uma bagunça. Processos sem nenhum tipo de controle”, reage um importante servidor do Palácio dos Palmares.

De acordo com levantamento da Sesau, revelado em primeira mão a este blog, são mais de mais de 6 mil processos irregulares deixados pela gestão anterior.  Seriam serviços e produtos contratados na gestão do governador Teotonio Vilela Filho sem empenho ou qualquer outro tipo de documentação.

Todos os “processos” estão sendo auditados pela Controladoria Geral do Estado, por determinação do governador Renan Filho. A ordem é só pagar o que estiver “dentro da lei”.

Até o momento foram analisados cerca de 3 mil processos. Destes, 1,1 mil foram ‘aprovados’, totalizando uma dívida que, segundo a Sefaz, chega a R$ 33 milhões. Por enquanto não tem dinheiro, orçamento ou previsão para pagar a “herança” deixada pela equipe de Téo Vilela.

A dívida, se todos os processos fossem considerados ‘aptos’, passaria dos R$ 100 milhões.

De acordo com levantamento da Sesau e CGE, dos processos analisados, 1,9 mil – o que representa mais de 60% – apresentam ‘inconformidades’, como notas fiscais rasuradas.

O que diz a Sesau

A Secretaria de Saúde do Estado deve emitir nota oficial nesta quarta-feira, 13, sobre este episódio. Os processos que apresentaram inconformidades devem ser avaliados caso a caso. Os demais,  já aprovados, vão depender de disponibilidade de caixa e da decisão do governador Renan Filho e do secretário da Fazenda, George Santoro.

A Sesau informa que os pagamentos dos novos processos, autorizados este ano, estão em dia. Quanto ao “pendura” do ano passado, será preciso esperar pela conclusão do trabalho da CGE e da decisão da Sefaz e do Palácio dos Palmares.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Luiz paulo sodré

    Sr.edivaldo, será que vocês da imprensa não ouvem o clamor das ruas? Será que vocês não tem sensibilidade? Ou estão realmente reféns desse governo que ainda nem começou ? A saude está parada,não existe medicamentos na rede pública,todos sofrem,a educação não paga nem o transporte escolar levando todos a parar,desde o aluno até o motorista do ônibus,esse governo não paga nem reajuste de 1 de maio,negociado pelo outro governo,e que nunca deixou de ser pago em quatro anos,os funcionárioestão a se revezar a fazer café nas repartições por falta de profissional,até o memorial Teotônio Vilela está fechado por falta de um único vigilante que proteja o patrimônio público,a segurança só está trabalhando,porque mata mais do que prende,e vocês que se formaram para levar a verdade e a notícia ao povo,ficam procurando chifre em cabeça de cavalo,quem não percebe que tudo está parando em nossa terra? Falem a verdade porque esse jovem estava confiando na autoridade do pai,e agora não consegue se mexer,náo induzam o povo a mentira,não se afaste da sua biografia.

Comments are closed.