Usinas querem usar subvenção para pagar trabalhadores e fornecedores de cana
   15 de maio de 2015   │     17:35  │  0

Fornecedores de cana e usinas do Nordeste se mobilizam para tentar receber, desde o final de 2014, a subvenção da cana-de-açúcar e do etanol. Em meio a crise, o pagamento que seria referente a safra 13/14 ajudaria os produtores a manter os canaviais e, principalmente, a pagar débitos.

No caso das usinas, segundo o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Alagoas, todo o dinheiro da subvenção do etanol seria destinado ao pagamento dos trabalhadores. “Autorizamos o repasse direto para os trabalhadores. E o que sobrar será destinado ao pagamento dos fornecedores de cana”, aponta Pedro Robério Nogueira, presidente do Sindaçúcar-AL.

Para enfrentar as dificuldades da entressafra as usinas estão negociando a redução de jornada e de salário com os trabalhadores: “sem acesso a novos financiamentos e sem a ajuda do governo, estamos tentando atravessar esse período que é muito crítico, uma vez que as empresas enfrentam anos seguidas de dificuldades por conta da crise financeira e da política artificial de manutenção do preço da gasolina”, aponta.

Nesse cenário, adianta Pedro Robério Nogueira, o setor fará um grande esforço na próxima semana, para tentar manter no Orçamento da União deste ano o pagamento da subvenção: “existe risco de corte desses valores do Orçamento, o que seria muito ruim para o setor como um todo e, em especial, no Nordeste”.

Por conta da crise financeira que atravessa o país, a equipe técnica do Ministério da Fazenda apresentará a presidente Dilma Rousseff, na próxima quarta-feira, dia 20, um estudo com a indicação de cortes e de programas que deverão ser atendidos com recursos do Tesouro Nacional.

Em nota Sindaçúcar-AL explica como serão as negociações para manter a subvenção no Orçamento:

Diante deste cenário de dúvidas, os presidentes dos Sindicatos das Indústrias do Açúcar e do Álcool dos Estados de Alagoas e de Pernambuco, respectivamente, Pedro Robério Nogueira e Eduardo Cunha, encaminharam um pleito a Fazenda para não incluir a subvenção da cana e do etanol no corte.

O pleito foi apresentado secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Tarcisio Godoy, durante audiência realizada com os dirigentes do setor sucroenergético nacional, semana passada, em Brasília.

No documento, para assegurar que os recursos sejam repassados pelo governo federal, os representantes do setor sucroenergético dos dois Estados admitem a possibilidade de parcelamento do pagamento da subvenção até o final da entressafra prevista para agosto.

“Na oportunidade, asseguramos que o pagamento da subvenção será destinado, exclusivamente, para pagamentos de salários dos trabalhadores do campo e da indústria”, declarou Pedro Robério, acrescentando que na próxima semana estará novamente com a junta coordenadora do orçamento para reiterar a solicitação feita ao Ministério da Fazenda.

A Lei nº 13.000 de 18 de junho de 2014 – sancionada sem veto pela Presidência da República e publicada no Diário Oficial da União (DOU), autoriza uma subvenção no valor de R$ 0,25, por litro de etanol produzido e comercializado na safra 12/13.

A subvenção proporcionará uma injeção de recursos na região Nordeste na ordem de R$ 414 milhões, dos quais R$ 135 milhões serão destinados as unidades produtoras do Estado de Alagoas.