Depois de confronto eleitoral, Renan Filho e Benedito de Lira ‘fazem as pazes’
   1 de junho de 2015   │     16:40  │  2

A ‘briga’ de 2014 ao que parece ficou em 2014. O governador Renan Filho e o senador Benedito de Lira trocaram farpas e ‘chutes’ na canela na disputa pelo governo do estado. Mas o tempo, como se sabe, ajuda a cicatrizar as feridas abertas e mesmo que tenham ficado cicatrizes os dois já convivem civilizadamente.

Renan Filho já avisou aos amigos e assessores mais próximos que a ‘briga’ com Biu é coisa do passado. A disputa se foi e a hora agora, costuma repetir, é de trabalhar por Alagoas. Cada um que faça sua parte. O governador terá de suar a camisa para mostrar a que veio. E o senador terá que gastar muita sola de sapato para mostrar trabalho num governo em que ele não tem – ao contrário da gestão anterior – nenhum espaço político.

Benedito de Lira também esqueceu as querelas eleitorais. Tanto que tem ajudado, da forma que pode, a mandar recursos para projetos que dependem de recursos federais em Alagoas.

Ainda vai demorar alguns meses para ver o senador e o governador juntos, em uma solenidade pública. Eles já andaram se encontrando em Brasília, trocaram um aperto de mão, conversaram ‘amistosamente’ e decidiram que vão cuidar dos ‘interesses de Alagoas’ em primeiro lugar.

E que ninguém se surpreenda de ver Biu e RF juntos, ainda que ‘discretamente’, em vários palanques nas eleições de 2016.

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. ex-eleitor

    ESSA UNIÃO É PARA O INTERESSE DOS DOIS, PARA O POVO SÓ FICA A SAÚDE,EDUCAÇÃO E A SEGURANÇA FALIDA ,DO TEMPO QUE ESSA CAMBADA FALA QUE VÃO FAZER AS COISAS POR ALAGOAS A GENTE JÁ ERA PARA SER PRIMEIRO MUNDO.

  2. Antonio Soares

    Eu quero ver quando é que ele vai fazer as pazes com o pai. Alagoas não precisa de briga familiar.

Comments are closed.