Setor sucroenergético faz pedido de “socorro urgente do governo”
   11 de junho de 2015   │     19:05  │  0

Os desdobramentos da reunião da Comissão Geral, realizada ontem no Plenário da Câmara Federal, em Brasília, continuam. O encontro foi proposto pelo deputado alagoano João Henrique Caldas (JHC), que recebeu apoio da bancada federal, para mobilizar o país em defesa do setor sucroenergético nacional, responsável por 30% do PIB do setor agrícola no Brasil.

Na Comissão Geral, representantes do setor nacional estiveram presentes, como fornecedores de cana e industrais, que pleitearam um esforço do governo federal para ajudá-los a sair da crise.

Em matéria publicada pela Agência Câmara Notícias, os representantes do setor sucroenergético foram enfáticos no pedido de “socorro urgente do governo”.

 Trabalhadores e industriais pedem ajuda do governo ao setor sucroenergético

Representantes de trabalhadores e da indústria sucroenergética pediram socorro urgente do governo na comissão geral sobre a crise do setor sucroalcooleiro. O diretor do Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis (Ceise-BR), Paulo Gallo, disse que as ações do governo ao setor precisam ser de curtíssimo prazo. “O setor está na UTI e em estado terminal, não podemos mais perder tempo”, afirmou.

O presidente da Federação dos Plantadores de Cana (Feplana), Paulo Sérgio de Marco Leal, também pediu um programa robusto de recuperação de ativos não só para o setor industrial da cana, como para o setor agrícola. “São mais de 300 mil desempregados do campo”, destacou. “É preciso reestabelecer a situação financeira da indústria, que começou a nova safra devendo uma safra e meia”, completou.

A diretora-presidente da União da Indústria de Cana de Açúcar (Unica), Elizabeth Farina, acredita que primeiro é preciso recuperar o setor para depois retomar o crescimento. “O setor pode alavancar o desenvolvimento econômico nas regiões onde está implantado e gera profundas perdas quando entra em crise”, observou.

Colapso social
O presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool do Estado de Alagoas (Sindaçúcar-AL), Pedro Robério de Melo Nogueira, também afirmou que a crise causou colapso social em vários municípios.

O representante da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), Gerson Carneiro Leão, ressaltou que muitos produtores não estão recebendo, sem que nenhuma iniciativa esteja sendo tomada pelo governo para lidar com o problema. “Os trabalhadores do setor estão à deriva, sem socorro do governo”, complementou Antônio Vitor, representante dos trabalhadores do setor sucroenergético.

Edson Dias Bicalho, também representante dos trabalhadores, pediu unidade de ação de trabalhadores, produtores e industriais, junto ao governo, para estabelecer políticas de socorro e de estímulo para o setor.

Já o presidente da Comissão Nacional de Cana-de-açúcar da CNA (Confederação Nacional de Agricultura), Enio Jaime Fernandes Júnior, defendeu o projeto de terceirização do trabalho, já aprovado pela Câmara e em tramitação no Senado. Para ele, a falta de emprego é o principal problema enfrentado pelo trabalhador, e a aprovação da proposta pode ajudar a resolver o problema.

Acompanhamento
O deputado Marx Beltrão (PMDB-AL) defendeu a criação de subcomissão especial no Congresso para acompanhar a crise do setor sucroenergético de forma permanente.