Greve na Polícia Civil só acaba com enquadramento de aposentados
   12 de junho de 2015   │     19:30  │  3

Em greve há 20 dias, os policiais civis não dão sinais de que vão encerrar o movimento até que o governo atenda os três pontos de pauta da categoria: reajuste de 15% para o funcionalismo estadual (IPCA mais ganho real), fim da cota de enquadramento da progressão do PCCS, hoje limitada a 40 processos mês, e o enquadramento dos aposentados.

“A procuradoria (PGE) mudou, estranhamente, de opinião em maio e passou a negar o diretiro do aposentado de ser enquadrado na progressão. Não aceitamos esse ponto de vista, até porque entendemos que o policial se aposentou, na hora saiu decreto, tinha o mesmo requisito que eu que estou na ativa”, reage o presidente do Sindpol.

Josimar Melo avisa que a categoria não abre mão desse ponto: “sem enquadramento do aposentado, não negociados nada”, aponta. Quanto as outras questões, avisa, a categoria tem  negociado com o governo, que sinaliza com a possibilidade de aumento da “cota”.

Já na questão do IPCA, avisa Josimar, a decisão será  conjunta com os demais servidores.

Na questão específica dos aposentados, o Sindpol apresentou “pedido de reconsideração à PGE”, seguindo orientação do governo.

Veja texto  distribuído pelo sindicato:

Sindpol faz pedido de reconsideração à PGE sobre enquadramento dos aposentados

O Sindpol cumpriu o acordo feito com o secretário de Planejamento e Gestão (Seplag), Cristian Teixeira, e protocolou, na manhã desta segunda-feira (08), o pedido de reconsideração sobre o enquadramento dos policiais civis aposentados à Procuradoria Geral do Estado (PGE).

 

Uma cópia do pedido de reconsideração foi protocolada na Secretaria de Planejamento e Gestão e outra foi entregue à delegada-geral Adjunta da Polícia Civil, Luci Mônica Ribeiro. Na última reunião na Seplag, ocorrida na sexta-feira (05), foi acordado que o secretário Cristian Teixeira fará gestão junto à Procuradoria Geral do Estado (PGE) sobre o enquadramento e celeridade aos processos dos aposentados.

 

O secretário também se comprometeu a dar uma resposta até quinta-feira (11) ao Sindpol. Entre o impasse do AL Previdência, o Procurador Geral do Estado publicou parecer contrário ao enquadramento dos inativos, causando revolta em toda a categoria.

 

Os policias civis estão em greve, desde o dia 22 de maio, pelo descumprimento do acordo do Governo do Estado em relação ao enquadramento dos policiais civis aposentados no Carreiras e Subsídios – PCCS, pelo pagamento retroativo do Plano, pagamento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA mais ganho real, fim da cota mensal de 40 processos de progressões entre outros itens da pauta geral de reivindicações.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. fred

    MEU CARO EDIVALDO, AGORA O NOSSO CONSEG VAI SE REUNIR, ESPERO QUE ELES HOMENS INTELIGENTES DIGA AO NOSSO GOVERNADOR, QUE O AUMENTO DO PCCS (PLANO DE CARGO CARREIRA E SALARIO)DOS POLICIAIS CIVIS ESTA NO ORÇAMENTO, E QUE ELE TEM QUE PAGAR, NÃO TEM DESCULPAS, E QUE A LEI DE REAJUSTE ANUAL TAMBÉM ESTAR EM LEI, AGORA VAMOS CUMPRIR A LEI, POIS AO TOMAR POSSE ELE FEZ JURAMENTO.

  2. fred

    Meu caro, quero parabenizar o grande JOSIMAR, pois em um governo serio isso já tinha resolvido, pois veja bem em todos os governos esses que assessora o governador ficam na bajulação e não resolvem nada, pois mim mostre meu caro jornalista EDIVALDO , o que resolveram, ficam empurrando com a barriga, é como dizia aquele grande senhor * VOÇE FOI ELEITO PARA RESOLVER, ENTÃO RESOLVA*.

  3. Aroldo

    Olá,
    todo o funcionalismo está sofrendo, contudo, a lei que lida do PCC da polícia não abarca a questão do enquadramento do aposentado, portanto, como pleitear a progressão de um ex-servidor que já se encontra na inativa? Sem esquecer que nesse estado os únicos que têm algum aumento é a categoria da polícia e educação. o meu continua no mesmo, nem PCC eu possuo e nem por isso fico 20 dias de greve, pois quem sofre, além de mim é claro, é a população que nada tem haver.

Comments are closed.