Para ‘atender’ servidor, governo deixa comissionado sem reajuste
   15 de junho de 2015   │     22:27  │  8

Em meio às negociações salariais com o Movimento Unificado dos Servidores, o governo de Alagoas decidiu cortar ainda mais na “própria carne”.

Depois de reduzir o número de Secretarias e cortar em 30% o número de cargos de comissão, o governo decidiu sacrificar ainda mais as funções comissionadas, que em muitas casos, são as principais responsáveis pelo funcionamento dos órgãos públicos

Enquanto a maioria dos servidores efetivos terá no mínimo 4% de reajuste (no caso dos professores o reajuste  proposto é de 5%), os comissionados ficarão  sem direito a nenhum reajuste este ano.

O secretário de Planejamento e Gestão explica a decisão: “foi a única solução que encontramos para dar um percentual  um pouco maior para o servidor público. Do contrário não chegaríamos nem aos 4%”, pondera Christian Teixeira.

O secretário apresentou a proposta dos 4%, dividido em três parcelas, na reunião realizada na quarta-feira,10, aos servidores.

“O que apresentamos foi o máximo. Estamos esperando que os servidores apresentem uma contraproposta e a partir daí avançar nas negociações”, aponta.

Teixeira descarta, no momento, a possibilidade de dar os 6,4% do IPCA de uma só vez, como defendem os sindicatos que representam os servidores: “alguns estados não deram nada de reajuste,  como São Paulo. No Paraná o reajuste foi de apenas 3,4% e no Rio Grande do Sul, os salários estão atrasados. Em meio a essa crise, o governador Renan Filho está fazendo um grande esforço porque reconhece a importância do servidor”, pondera.

Em nova rodada de negociação com os servidores, hoje, o governo espera chegar a um entendimento que evite a greve.

Teixeira é puro otimismo: “O servidor sabe das dificuldades que enfrentamos e esperamos ouvir uma contraproposta que o Estado possa honrar”, aponta.

COMENTÁRIOS
8

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Arnaldo Amorim

    Proposta sensata, mas que fere o princípio da isonomia, além de aprofundar o calabouço que já existe entre o servidor (por concurso público) e o servidor (por provimento em comissão). É um prova inequívoca que em AL não existe um plano para o desenvolvimento de cargos na gestão pública e continuará a não existir no governo Renan Filho. De resto vamos rezar para que um dia o cidadão alagoano (e não servidor – concursado ou não) possa usufruir de uma prestação de serviço público decente e condizente com o imposto arrecadado.

  2. WELLINGTON

    ELES JÁ CHEGAM COM SALÁRIOS BEM ACIMA DOS CONCURSADOS COMO SEMPRE…
    ENQUANTO QUE O SERVIDOR CONCURSADO SENTOU NUMA BANCA ESTUDANDO DIA E NOITE PARA CONSEGUIR UM EMPREGO DIGNO DOS SEUS ESFORÇOS, OS COMISSIONADOS VIVEM BALANÇANDO POLÍTICOS E FAZENDO CAMPANHAS ELEITOREIRAS PARA GARANTIR AS BENECIAS NOS MANDATOS DOS SEUS CANDIDATOS COM SALÁRIOS BEM ACIMA DA MÉDIA DOS SERVIDORES DE CARREIRA. NÃO FEAZ MAIS DO QUE A OBRIGAÇÃO, MESMO PORQUE 4% OU 5 % QUE VENHA, ESTARÁ COMO SEMPRE BEM ABAIXO DA INFLAÇÃO E CONTINUARÁ SENDO O SALÁRIO DE MISÉRIA DE QUEM REALMENTE FEZ POR MERECER.
    COMISSIONADOS NÃO FAZEM A MÁQUINA FUNCIONAR SENHOR “BLOGUEIRO”, NA SUA GRANDE MAIORIA VIVEM EM GABINETES TOMANDO CAFEZINHO E SE ARTICULANDO PARA A PRÓXIMA ELEIÇÃO COM FUXICADAS E BABAÇÃO. SEMPRE FOI ASSIM, SEMPRE SERÁ ASSIM PORQUE NÃO TIVERAM COMPETÊNCIA PARA ESTUDAR E CONSEGUIR EMPREGO COM SEUS ESFORÇOS.

  3. jesu

    Os estado citados as condições saláriais são outras e por quê, não redistribui os servidores de outros orgão para assim poder funcionar.
    Acabe com as viagens para cursos e use as verbas de passagem, inscrição e diárias, com certeza a economia seria muitas.

  4. servidor

    Oh que pena dos comissionado, pois como eles realmente são os que “carregam” o estado nas costas.Acho que eles deveriam paralisar as atividades e cobrar o ipca também, estes pobres coitados incompreendidos comissionados.

  5. Carlos Cesar

    Pelo que me consta, atrasar salários, como o Estado do R.G. do Sul, esta na Lei de Responsabilidade Fiscal e o gestor tem que ser punido. Agora, quanto ao cargo de comissão, é lógico que ninguém vai fazer GREVE. Já pensou: Comissionados fazem greve!! Já basta o celular, gasolina, carro que muitos comissionados recebem.
    O servidor poderia aceitar os 4,5% de uma vez, deixando 1,9% restantes para ser adicionado ao IPCA de maio/2016.

  6. Coruja

    Esse blogueiro bobinho só defende o governo, meu amigo cargo comissionado ñ é servidor concursado ñ era nem para está no governo tem que estudar e fazer concurso eles estão na verdade é tirando a vaga de um trabalhador que passou no concurso

  7. Pedro Reys

    Esse Secretário é muito engraçado, falo pela Educação onde o dinheiro é da EDUCAÇÃO e 60% é para pagamento e benfeitoria do professores. Aqui um professor com 20 h ganha algo em torno de 1200,00. No Paraná, onde ele alega que o aumento foi de 3,4%, um professor com 20 h começava seu ganho como professor inicial em 2200,00. Diferente né Secretário??

  8. ANTONIO DOS SANTOS

    Caro Edvaldo, acho que você está equivocado com relação ao reajuste dos cargos comissionados, primeiro o governo iniciou o mandato no dia 01 de janeiro de 2015, são seis meses que os novos servidores comissionados estão no cargo, portanto não é merecedor de nenhum tipo de reajuste. Com relação a cortar da própria carne é uma tremenda balela, redução de cargos é quando o governo resolve reduzir depois que nomea não no inicio do mandato.

Comments are closed.