Governador deve dar cargos para ‘acalmar’ deputados
   9 de julho de 2015   │     20:43  │  1

O ex-governador Teotonio Vilela Filho manteve uma relação puramente matemática com a Assembleia Legislativa. Os deputados estaduais não tinham participação no primeiro escalão do governo, mas recebiam uma ‘cota’ de cargos que variava de 20 a 40.

“Quem estava na bancada tinha no mínimo 20 cargos. Agora os deputados que tinham um peso maior (alguém aí sabe o que ‘peso maior’ quer dizer) tinha de 35 a 40 cargos”, revela um deputado que participara do rateio  na gestão passada.

Num recente encontro com um grupo de deputados o governador Renan Filho sinalizou que poderia atender politicamente com algumas indicações – mas por enquanto nada além de 5 cargos.

“É pouco. Mesmo o governador dizendo que depois quando a situação do estado melhorar pode dar mais cinco ou dez cargos”, revela outro parlamentar.

Seja como for, a ‘disputa’ por alguns cargos já começou. Ricardo Nezinho e Severino pessoa estariam, segundo a ‘rádio bastidor’, interessados no comando da UE do Agreste.

Quem vai ficar com a vaga?

A decisão claro que será negociada. Se prevalecer o compromisso de campanha, a UE fica com Pessoa, mas Nezinho terá suas compensações. Essa é mais uma tarefa para o secretário do Gabinete Civil. Com certeza Fábio Farias dará conta.

Anote: a ‘disputa’ por cargos ‘estratégicos’ para políticos que tem atuação no interior está  só começando.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Paula

    O concurso da uncisal que é bom, ele não dá nenhum posicionamento. Uma verdadeira falta de respeito com os aprovados.

Comments are closed.