‘Adversários’ que integram base de RF avisam que não vão se unir em 2016 
   15 de julho de 2015   │     19:11  │  1

Não é, nem nunca foi fácil unir adversários na política. Também não é impossível. O ex-presidente Lula é mestre nessa arte. Deve ter sido ‘aluno’ de um dos mais hábeis expoentes deste jogo, o senador Renan Calheiros.

Eles dois, hoje tão próximos, já estiveram distantes.

Mas se é relativamente  justificável uma aliança nacional ou estadual entre antigos adversários, em nome da governabilidade, o mesmo não acontece nos municípios. Quanto menor a cidade, mais difícil é juntar ‘água e óleo’.

Não são apenas as ‘vaidades’ pessoais. Também pesa o lado emocional, alimentado por anos de brigas e confrontos. Mas pesa, especialmente, a opinião do eleitor, que não perdoa uma ‘traição’ ou que um lado se ‘venda’ ao outro.

Talvez tenha sido por isso que Edvaldo Nascimento tenha se apressado em me ligar. Vereador de Delmiro Gouveia, ele foi candidato a deputado estadual na coligação de Renan Filho e não comunga com a estratégia do governador de ‘juntar’ os adversários de sua base no interior.

Edvaldo Nascimento avisa que nunca se juntou ao grupo de Lula Cabeleira, nem vai se juntar: “impossível”, resume.

Vereador do PCdoB ele é pré candidato a prefeito de Delmiro Gouveia para as eleições de 2016 e não quer falar sequer na possibilidade de esta no mesmo grupo do atual prefeito  da cidade.

Da base de RF, não é só ele que está trabalhando para chegar a prefeitura. O vereador Valdo Santes também é pré-candidato, com apoio de Inácio Loiola e o Padre Eraldo vai encarar a disputa com apoio de Ronaldo Lessa. Todos três fazem oposição a Lula Cabeleira, mas como ele também estão na base de RF.

Dimensão

A reação de Edvaldo  se deu por conta de nota que publiquei aqui acercada estratégia de Renan Filho para as eleições do próximo ano. O governador quer juntar, onde for possível, grupos locais adversários que lhe deram apoio nos municípios. Não é pouca coisa não. Em mais de 70% das cidades ele teve apoio da 1ª e 2ª força política.

A situação não é diferente em outras cidades. Em Carneiros o ex-prefeito Geraldo Agra Filho é candidato no próximo ano pelo PMDB. Ele vai enfrentar o atual prefeito, Luiz Nobre, do PP, e outros dois candidatos que saem pela oposição.  “Neguinho”, como é conhecido, não pensa nem de longe em “unir forças” com outros grupos, como pretende o governo.

Procura-se

Aqui, um registro que faço a pedido de Edvaldo Nascimento: “se antes, quando Lula tinha fama de bom gestor, uma aliança era inaceitável, agora é impossível. Ele não aparece na prefeitura há seis meses. A cidade está abandonada. Ele está fazendo uma administração tão ruim que está acabando com a fama que construiu no passado”.

 

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. marcelo moraes

    Apenas pra colaborar, não precisa publicar.
    Há um erro em . . . não quer falar sequer na possibilidade de ‘esta” no mesmo grupo do atual prefeito da cidade. O correto é estar – infinitivo do verbo.

Comments are closed.