Renan Filho vai ajudar setor sucroenergético a enfrentar crise
   17 de julho de 2015   │     16:05  │  1

Depois de acenar com medidas de apoio aos fornecedores de cana, o governador Renan Filho recebeu, nessa quinta-feira, 17, empresários do setor sucroalcooleiro.

As usinas do Estado estão enfrentando a maior crise da história. Nos últimos três anos, quatro indústrias sairam de operação, provocando a redução de mais de 20 mil empregos diretos e afetando a economia de vários municípios da região canavieira.

Em Alagoas, apesar da crise, o setor ainda representa 15% do PIB e gera mais de 100 mil empregos diretos. Para debelar a crise, os empresários pediram o apoio do governo do Estado e do governador Renan Filho.

A restauração da CIDE e a venda direta do etanol da usina para os postos de combustíveis, além da questão do crédito presumido e da redução da alíquota do ICMS do etanol, foram os principais temas debatidos pelos conselheiros do Sindaçúcar-AL na audiência com  Renan Filho.

Foi o primeiro encontro oficial dos representantes do setor sucroenergético com o governado. A reunião, realizada no Palácio República dos Palmares, contou com a presença do secretário do Gabinete Civil, Fábio Farias, e do presidente da Cooperativa Regional dos Produtores de Açúcar e Álcool de Alagoas (CRPAAA), José Ribeiro Toledo Filho.

No encontro também foi solicitada a intervenção do governador Renan Filho junto ao governo federal na liberação dos recursos das subvenções da cana e do etanol que injetariam na economia alagoana mais de R$ 380 milhões, além da antecipação de parte dos recursos das cotas preferências de açúcar do Nordeste exportado para o mercado europeu.

“Foi uma reunião excelente. A nossa agenda de reivindicações passa por ações de âmbito estadual e federal. Renan Filho reconhece a crise que o setor atravessa e solicitado a sua inclusão na agenda do setor, prometendo criar uma mobilização juntos aos governadores do Nordeste, semelhante a já existente com os governadores brasileiros”, afirmou Pedro Robério Nogueira, presidente do Sindaçúcar-AL.

De acordo com ele, o maior setor produtivo do Estado vive um momento de penúria. “Desde 2009, é o pior cenário de crise que Alagoas atravessa. Em comparação aos demais Estados produtores de cana, vivemos a situação mais delicada. Além dos problemas enfrentados pelo setor em todo o país, temos questões locais como três safras de seca sem precedentes na história”, afirmou.

Pedro Robério alertou ainda sobre a inadimplência provocada pela crise financeira. “Chegamos ao nosso limite de endividamento junto com os bancos”, lembrando que o setor representa a única atividade econômica que liga Alagoas com o mercado mundial.

Durante a reunião, o governador Renan Filho fez uma analise da conjuntura econômica nacional, afirmando que o momento exige serenidade com o objetivo de encontrar caminhos para se combater a crise. “Temos problemas imediatos que precisam ser resolvidos, principalmente no Nordeste. Precisamos buscar alternativas. Temos que aprofundar estas questões, fazer um estudo detalhado dos números. É preciso construir caminhos para o crédito e definir um cenário econômico. Afinal, o setor sucroenergético é uma questão de Estado”, finalizou.

Versão oficial

A Agência Alagoas registrou a reunião. Veja

APOIO

Renan Filho se dispõe em ajudar o setor sucroalcooleiro

No que for preciso, Executivo se propôs em ajudar segmento que passa por crise

O governador Renan Filho se reuniu com representantes do setor sucroalcooleiro, nesta quinta-feira (16), para tratar de demandas pleiteadas pelo setor em Alagoas. O encontro foi realizado no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares.

A reunião contou também com a presença do secretário-chefe do Gabinete Civil, Fábio Farias, bem como do presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Alagoas (Sindaçúcar-AL), Pedro Robério Nogueira, e outros líderes do setor.

Dentre as demandas abordadas na reunião, estão possíveis intervenções do Estado junto ao governo federal. Atualmente, o setor sucroalcooleiro passa por um momento conturbado, em virtude da crise econômica mundial. Apesar do cenário incerto, o governador reforçou o discurso de apoio à categoria.

Veja aqui o texto completo:

http://agenciaalagoas.al.gov.br/noticias/2015-1/7/governador-renan-filho-se-propoe-em-ajudar-o-setor-sucroalcooleiro

 

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. OLIVEIRA

    O GOVERNO FEDERAL DESCARADAMENTE JÁ SINALIZOU QUE NÃO PAGARÁ A SUBVENÇÃO PARA OS PRODUTORES INDEPENDENTES E PARA OS USINEIROS. A MEDIDA NÃO É NENHUMA SURPRESA, PARTINDO DE UMA PRESIDENTE INSENSÍVEL QUE SUBSIDIOU A GASOLINA E IMPORTOU ÁLCOOL DE MILHO AMERICANO ( SUBSIDIADO PELO GOVERNO DOS EUA), CAUSANDO ENORME PREJUÍZO À PETROBRÁS E AFUNDANDO O SETOR SUCROALCOOLEIRO. TUDO POR CONTA DE UM POPULISMO ELEITOREIRO VOLTADO PARA UM PROJETO DE PODER QUE TEM SE REVELADO NOCIVO AO PAÍS. PORTANTO, DO GOVERNO FEDERAL, SÓ PODEMOS ESPERAR ALGUMA COISA EM 2018, QUANDO O PT NOVAMENTE ACENARÁ COM ESMOLAS PARA TER, MAIS UMA VEZ, UMA MASSACRANTE VOTAÇÃO NA MISERÁVEL REGIÃO NORDESTE QUE, DE NOVO, SERÁ MOTIVO DE REPULSA E CHACOTA PARA O RESTANTE DO PAÍS.
    O GOVERNADOR RENAN FILHO TEM DEMONSTRADO BOA VONTADE COM O SETOR QUE ESTÁ AGONIZANTE. PORÉM, A DEMONSTRAÇÃO NÃO PODE FICAR SÓ NO CAMPO DA RETÓRICA, MEDIDAS CONCRETAS PRECISAM SER URGENTEMENTE TOMADAS PARA QUE PELO MENOS O ETANOL VOLTE A SER COMPETITIVO E MELHORE A SITUAÇÃO FINANCEIRA DO SEGMENTO. SE OS USINEIROS ESTÃO COM FEBRE, IMAGINEM OS FORNECEDORES, MUITOS DOS QUAIS ESTÃO HÁ MAIS DE UMA SAFRA SEM RECEBER PELA CANA QUE FOI ENTREGUE, TRANSFORMADA EM AÇÚCAR E/OU ÁLCOOL E CUJA PRODUÇÃO CERTAMENTE JÁ FOI VENDIDA.

Comments are closed.