‘Margem’ de revenda deixa Etanol mais caro para consumidor de AL
   24 de julho de 2015   │     17:23  │  0

Os revendedores de combustíveis de Alagoas continuam aumentando a margem de lucro, num movimento que, se não é, parece ser orquestrado. Pesquisa semanal realizada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) mostra que a margem dos preços aumentou mais de 12% desde maio.

Em maio o preço médio da gasolina no estado era de R$ 3,28 e a margem R$ 0,450. Na pesquisa semanal encerrada no dia 18 de julho, o combustível estava em R$3,373 e que margem em R$ 0,547. Em igual período o valor médio da gasolina nas distribuidoras manteve estável, saindo de R$ 2,83 para R$ 2,82.

Mas Não é só na gasolina. Os postos de Alagoas também aumentaram a margem de revenda do etanol, prejudicando, nesse caso, consumidores e indústrias. Nas últimas quatro semanas, o preço médio do álcool hidratado subiu, nas bombas, de R$ 2,553 para R$ 2,59. A margem de lucro, no entanto aumento de R$ 0,32 para R$ 0,36, em apenas um mês.

Nos Estados produtores de etanol medidas de incentivo tem beneficiado os consumidores, sem penalizar a arrecadação dos estados. Em São Paulo o etanol sai, hoje por R$ 1,80 para o consumidor. Em Minas Gerais, por R$ 1,99.

Em Alagoas o álcool que sai da usina por R$ 1,45 chega ao posto por R$ 2,60. Em parte o problema é decorrente da alta carga tributária (27%) do etanol no estado. Ainda assim, aponta o presidente do Sindaçúcar-AL, existe uma margem de mais de 50 centavos que fica com distribuidores e revendedores.

Para Pedro Robério Nogueira, uma solução seria permitir a venda direta do etanol da usina para os postos: “o governo de Alagoas resiste em dar incentivos reduzindo impostos, mas poderia defender essa saída, que beneficiaria a indústria e os consumidores e ainda ajudar a gerar empregos no estado”, pondera.

anp preço etanol