Após jantar com Dilma, Renan Filho sai em defesa da CPMF
   15 de setembro de 2015   │     3:49  │  5

Logo após participar de jantar com a presidente Dilma Roussef e outros 18 governadores da base aliada do governo federal, Renan Filho saiu em defesa da criação da CPMF, imposto sobre movimentações financeiras que o governo federal pretende criar para reduir o déficit fiscal previsto para o Orçamento de 2016.

“Caberá aos governadores a construção desse caminho no Congresso Nacional”, afirmou o governador logo após o jantar.

Os 19 governadores presentes ao encontro com a presidente, ministros da área econômica e da articulação política, foram convencidos a assumir a linha de frente para negociar, no Congresso o aumento da alíquota de 0.20% para 0.38% para que a nova CPMF seja compartilhada com estados e municípios.

Veja a repercussão da notícia sobre o acordo entre governadores em texto no Extra do Rio de Janeiro.

Governadores da base aceitam negociar aumento da nova CPMF no Congresso

BRASÍLIA — Em jantar na noite desta segunda-feira com ministros da área econômica e da articulação política, o governo conseguiu convencer os 19 governadores presentes a assumir a linha de frente para negociar, no Congresso, o aumento da alíquota de 0.20% para 0.38% para que a nova CPMF seja compartilhada com estados e municípios.

A primeira reunião dos 27 governadores já foi marcada para a quarta-feira da semana que vem na Câmara, com lideranças de todos os partidos.

Mostrando que era uma estratégia previamente combinada com os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) , no jantar, diante da grita dos governadores contra a não inclusão de estados e municípios na partilha do bolo de R$ 32 bilhões da nova CPMF, coube ao ministro da Defesa, Jaques Wagner, mostrar o caminho para resolver o problema da exclusão:— Olha, tem um caminho. Se vocês negociarem com o Congresso esse plus na alíquota, subindo para 0.38%, aí sim é possível o compartilhamento com estados e municípios — instruiu Jaques Wagner, que tem funcionado como um dos principais articuladores políticos da presidente Dilma Rousseff.

— Aí vai caber a nós a construção desse caminho no Congresso — concordou o governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), filho do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), peça fundamental na abertura de caminho para aprovação desse pacote no Congresso.
Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/governadores-da-base-aceitam-negociar-aumento-da-nova-cpmf-no-congresso-17491629.html#ixzz3lmQdQUVx

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. VAILTON

    EM REUNIÃO COM A TITIA, O PAPAI DEVE TER DITO: ” MEU FILHINHO OBEDEÇA A TITIA, E DÊ ESSA BALINHA DE LIMÃO, PARA OS SEUS ELEITORES CHUPAREM, ELES IRAM FAZER CARETA MAIS VÃO DIGERIR”. E ELE COMO FILHO OBEDIENTE VOLTOU FELIZ DA VIDA.
    ” A POLITICA PARA COM O ELEITOR E ESSA, UM TAPINHA NAS COSTA HOJE, AMANHÃ ELE PASSA COM UM TRATOR EM CIMA DO ELEITOR”

  2. Pedro Neto

    EU ACHO É TÔÔÔÔÔME PRO POVO…
    ESSA RAÇA TÁ MANDANDO E DESMANDANDO NO PAÍS, ESTÃO ASSALTANDO OS COFRES PÚBLICOS, DEIXANDO HOSPITAIS SEM ATENDIMENTO E MEDICAMENTOS, ESCOLAS EM RUÍNAS E SEM MERENDAS, O PAÍS SEM SEGURANÇA E AINDA DITAM SUAS REGRAS.
    CADÊ O PODER DO POVO?
    É DEMOCRACIA OU DITADURA?

  3. fred

    O NOSSO GOVERNADOR JAMAIS PODERIA OU PODERÁ CONCORDAR COM ISSO, POIS ISSO PREJUDICA TODA NOSSA SOCIEDADE, E UMA PENA, POIS O GOVERNO FEDERAL TEVE GASTO COM COPA DO MUNDO, E NO PRÓXIMO ANO COM OLIMPÍADAS, É DINHEIRO PÚBLICO GASTO SEM CONTROLE, AGORA DEFENDER ESSE IMPOSTO É UM TIRO NO PÉ.

Comments are closed.