Maioria dos deputados federais de Alagoas vota contra CPMF
   21 de setembro de 2015   │     21:50  │  0

Na quarta-feira, 16, Renan Filho foi à Câmara Federal tenta convencer – ao lado de outros governadores – os deputados federais a aprovar a CPMF ampliada, de 0,38%, que beneficiaria também estados de municípios.

O esforço do governador não produziu, até o momento, os resultados esperados, ao menos na bancada de Alagoas. Renan Filho gostaria, como antecipei aqui (http://wp.me/p2Awck-2Ul) de “entregar” os nove votos do Estado pró CPMF. Não vai conseguir.

Pelo menos quatro dos nove deputados federais de Alagoas (Marx Beltrão, Maurício Quintella,Pedro Vilela e JHC) já se manifestaram publicamente contra a volta do imposto sobre movimentação financeira. O deputado federal Cícero Almeida, que tem atuado na base da oposição, também não deve votar a favor da CPMF.

Entre os votos restantes, o governo também terá dificuldades para conseguir o “sim” de Ronaldo Lessa, que tem votado de forma independente. Os demais deputados (Givaldo Carimbão, Arthur Lira e Paulão tendem a acompanhar o governo na votação).

Veja alguns comentários dos deputados federais de Alagoas sobre a CPMF nas redes sociais:

Maurício Quintella: “Na Reunião de Líderes da Câmara com a Presidenta Dilma, ratifiquei minha posição contrária a CPMF e a mais aumento da carga tributária; é preciso mudar o eixo do Ajuste, o Brasil precisa de um Estado menor, menos paternalista, com mais apoio e incentivo a produção, só assim retomaremos a atividade econômica e voltaremos a crescer com segurança”.

Marx Beltrão: Dentre as medidas propostas pelo Governo Federal para promover o ajuste fiscal, está o retorno da CPMF. Esse imposto vigorou por dez anos e foi derrubado em 2007, pelo Senado, trazendo alívio aos brasileiros. Agora, num momento de dificuldade, é novamente apresentado como melhor alternativa para solucionar o abismo financeiro do nosso orçamento. Essa medida não é nem de longe justa com o povo brasileiro. E eu não vou aceitá-la. Voto não à CPMF e a qualquer outra conta que seja injustamente jogada nas costas do trabalhador. Veja o discurso que fiz na Câmara sobre esse assunto.

Pedro Vilela: A criação de novos impostos, entre eles a CPMF, não é a saída para os problemas da crise econômica que estamos passando, mas sim, a melhor gestão dos recursos.