Safra de cana de Alagoas deve chegar a 18,1 milhões de toneladas, diz Sindaçúcar-AL
   11 de outubro de 2016   │     13:56  │  2

Com 16 usinas em operação, a safra de cana-de-açúcar ganhar corpo em Alagoas. A moagem, no entanto, não está dentro do ritmo esperado. Afetados pela seca, os canaviais estão com produção abaixo do esperado.

O Sindaçúcar-AL revisou, nessa segunda-feira, 10, sua estimativa de crescimento da safra de cana-de-açúcar em Alagoas. A previsão inicial, de variação de 13,4%, foi atualizada para 11% em comparação com o ciclo anterior.

No primeiro boletim de expectativa de safra do ciclo 16/17, moagem 15/16, o Sindaçúcar-AL divulgou, a partir de informações das usinas, a estimativa de beneficiar 18,1 milhões de toneladas de cana no estado. O volume de cana continua bem abaixo da média histórica do estado, de cerca de 25 milhões de toneladas.

Das 19 unidades industriais que operaram na moagem anterior, apenas a destilaria Porto Alegre não tem estimativa de moagem para este ciclo.

Com a exceção das usinas Penedo e Sinimbu, que anunciaram o início da safra para o dia 25 de outubro, as demais unidades, de acordo com o boletim, já começaram a moagem – o que corresponde a 16 usinas em funcionamento.

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Gustavo Castro

    Os industriais seguem moendo os produtores rurais e os trabalhadores sem pagar nada. A culpa única é da seca. A gestão incompetente e golpista não é levada em conta. Com essa promessa vazia de financiamento que não saiu e não vai sair, enrolaram a todos durante todo ano e agora estão de vento em popa, moendo e exportando o açúcar já vendido antecipadamente. Iso é um massacre econômico. Os produtores e trabalhadores rurais não suportam mais. Por favor clamamos que denuncie!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *