Arrendamento da Usina Guaxuma deve gerar mais de 3 mil empregos em AL
   23 de outubro de 2016   │     22:59  │  2

Falta agora apenas a homologação pela Justiça para que a Usina Coruripe e a Granbio assumam, já nos próximos dias, o controle da Usina Guaxuma, em Coruripe. O contrato de arrendamento já foi assinado por todas as partes, recebeu a aprovação do Comitê de Credores da massa Falida da Laginha Agroindustrial SA  e o aval do empresário João Lyra.

O contrato foi assinado, pelo empresário, no último dia 14 e encaminhado para a Comarca de Coruripe nessa sexta-feira, 21.

Para dar o aval, João Lyra fez, segundo sua assessoria jurídica, apenas duas exigências: o adiantamento de R$ 7,2 milhões do contrato, para pagamento de dívidas trabalhistas – o que deverá ser feito no começo da próxima safra – e a prioridade na contratação de antigos trabalhadores da empresa na retomada de funcionamento a indústria. As duas exigências foram aceitas pelos arrendatários – Usina Coruripe e Gran Bio.

A reabertura da unidade deve gerar até 3 mil empregos diretos quando a indústria entrar em operação, a partir da safra 2017/2018. Mas as atividades serão iniciadas na unidade,  assim que o contrato de arrendamento for assinado: “a Guaxuma começa a gerar empregos assim que o contrato for homologado pela Justiça (Comarca de Couripe). Isto porque além de pessoal de apoio na área administrativa, as empresas que vão assumir o arrendamento, vão iniciar as atividades na área agrícola, com o plantio de cana-de-açúcar”, aponta um dos assessores jurídicos de João Lyra.

Capacidade de moagem

Com capacidade de produção de 1,8 milhões de toneladas por safra, a Usina Guaxuma é considerada uma das melhores usinas de Alagoas, pela sua localização estratégica e pela qualidade de suas terras: “são mais de 12 mil hectares de áreas planas e com estrutura completa para irrigação”, aponta o assessor jurídico.

O consórcio entre a Granbio e da Usina Coruripe será responsável pela gestão da usina a partir da homologação do contrato que prevê o arrendamento por um prazo de dez anos, prorrogáveis por mais 10, se houver anuência entre as partes.

A usina Guaxuma possui uma área total de mais 17,5 mil hectares e está avaliada em R$ 864,1 milhões. A usina Coruripe e Granbio vão assumir a operação da unidade industrial e a exploração de cerca de 12.500 hectares de terra, revelou o diretor presidente da Coruripe, Jucelino Souza.

Segundo o empresário João Lyra, o arrendamento da usina é uma alternativa importante para manutenção do patrimônio e geração de empregos. O consórcio arrendatário vai administrar a Guaxuma, com obrigatoriedade contratual de reativar o parque industrial, fazer investimentos e gerar empregos. A propriedade continua sendo do grupo João Lyra, que depois de 10 anos pode optar ou não pela renovação do arrendamento.

guaxuma

 

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. amorim

    Caro Edivaldo

    Quero parabenizá-lo, pela excelente notícia sobre a volta a normalidade empresarial da usina Guaxuma. A criação de tantos empregos, é uma alvissareira notícia diante da terrível crise, criada pelas desastradas administrações do famigerado PT. Parabéns

    Reply
  2. Luiz Ribeiro da Silva Filho

    Vejo como muito bons olhos esse fato e espero que realmente venha a ocorrer, a reposição de postos de trabalhos. Porém, não soluciona o maior e mais grave problema que é o pagamento dos valores devidos à grande maioria dos colaboradores que são salários e verbas indenizatórias não recebidas. Com os embargos e agravos à toda e qualquer medida que venha ser tomada para a solução do passivo trabalhista da Massa Falida Laginha, fica prejudicado o processo e vai se arrastando. Já fazem 07 (sete) anos do inicio do processo de RJ, e já na eminência de completarem-se 03 anos da decretação da Falência. Necessário se faz, no curso normal da Lei, que seja vendido pelo menos 01(uma) Unidade Industrial, para então ser liquidado o passivo trabalhista. É preciso sensibilidade do Sr. Dr. Juiz da 2a. Vara da Comarca de Coruripe, dando celeridade ao processo, evidentemente, contando com o apoio do Dr. Tutmes Airan, Desembargador Relator desse Processo, e coibindo atos viciosos/repetitivos que se tornem lesivos à sua solução.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *