Usinas confirmam pagamento de atrasados a fornecedores de cana de Alagoas
   4 de novembro de 2016   │     16:33  │  12

A intermediação do governador no imbróglio que envolve usineiros e fornecedores de cana de Alagoas  (pagamentos atrasados de safras passadas) começou a produzir resultados.  Em nota, o Sindaçúcar-AL informou, ontem,  que pelo menos dez das 19 unidades industriais, quitaram ou estão quitando os seus débitos por meio de uma programação de pagamentos.

Segundo o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, nesta safra, a moagem está entrando na normalidade com mais unidades operando. “Além disso, os preço do etanol e do açúcar estão melhores neste início de safra em comparação ao ciclo anterior”, afirmou.

O cenário de crise, no entanto, continua. A esperança de dias melhores para todas as unidades do setor está depositada na regularidade das chuvas e no empréstimo internacional que vem sendo negociado entre as usinas nordestinas e um banco suíço, avaliado em US$ 500 milhões.

As empresas, avisa Pedro Robério Nogueira, continuam negociando o financiamento. “Ainda não perdemos a esperança. Essa operação é fundamental para recuperar, num menor prazo de tempo, os canaviais e capacidade de produção das empresas”, enfatiza.

Confirmando o pagamento

O presidente da Asplana recebeu, na terça-feira, 1º , um fornecedor  de cana de Murici, na sede da entidade, em Jaraguá, ontem, com um importante informação: todos os fornecedores da Usina Leão, em Rio Largo, já teriam recebido o pagamento da cana da safra passada e estão com pagamento atualizado no ciclo atual.

Edgar Filho aproveitou para atualizar as informações: “o maior problema, continua nas usinas cooperadas. Ainda assim algumas unidades já começaram a pagar a safra atual e safras passadas. Estamos cobrando o pagamento ou confissão de débito em todas as usinas. Esta

Apesar das dificuldades econômicas, que tiveram origem na crise financeira mundial de 2008, a maioria das usinas alagoanas está regularizando as pendências com os fornecedores, principalmente com os produtores de cana.

Versão oficial

A Coluna do Sindaçúcar-AL, que circula nos jornais impressos desta sexta-feira, trouxe a confirmação do início do pagamento pelas usinas aos fornecedores. Leia o texto:

Usinas começam a pagar fornecedores

Ao menos dez das 19 unidades industriais, quitaram ou estão quitando os seus débitos por meio de uma programação de pagamentos.

Nos últimos meses, por meio da Asplana, os fornecedores vêm negociando com as usinas uma resolução para o problema que começa a ser sanado.

Segundo o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, nesta safra, a moagem está entrando na normalidade com mais unidades operando. “Além disso, os preço do etanol e do açúcar estão melhores neste início de safra em comparação ao ciclo anterior”, afirmou.

Diante do cenário de crise, a esperança de dias melhores para todas as unidades do setor está depositada na regularidade das chuvas e na obtenção do empréstimo internacional que vem sendo negociado entre as usinas nordestinas e um banco suíço, avaliado em US$ 500 milhões.

Entre outras destinações, a exemplo de recuperação de canaviais e de maquinário das usinas, o dinheiro obtido será usado também no pagamento dos atrasados aos fornecedores de cana.

A decisão de quitar os débitos com os produtores de cana foi um compromisso dos industriais do setor sucroenergético alagoano com os fornecedores e o governador Renan Filho em solenidade realizada em dezembro do ano passado, no Palácio República dos Palmares, em Maceió.

COMENTÁRIOS
12

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Ex Colaborador 3

    Bem que o Governadorzinho poderia ter um compromisso com os ex trabalhadores do Grupo JL. Mas vai cobrar o que, se as usinas são isentas de tributação. Piada.

  2. Luciano

    Isso é um desrespeito a nossa classe só conversa fiada para boi dormir eu e minha família temos dinheiro a receber na Utinga, na Clotilde, na Capricho e principalmente do grupo JL. E o governo vem falar em financiamento vai fazer um ano só para enrrolar. Temos que fazer alguma manifestação chega, a paciência acabou.

  3. Fábio

    Caro Edvaldo, quem tem que confirmar o pagamento não são as usinas, a confirmação cabe a parte credora, no caso os fornecedores, portanto faça uma pesquisa entre estes e , aí sim, confirme se realmente existe esse pagamento propagado pelo sindaçucar.

  4. Fernando

    Só se for na usina do Pedro Robério! pois há dois anos tenho dinheiro para receber de uma cooperada e de uma nāo-cooperada, e até agora nāo vi a cor do dinheiro!

  5. CARLOS ALFREDO FERRO DE SÁ

    EDVALDO, BOA NOITE; ISTO É MENTIRA. NINGUÉM RECEBEU NADA. SÓ QUEM ESTÁ EM DIAS É A USINA CORURIPE E A SERRA GRANDE. O GRUPO CAETÉ ESTÁ PROPONDO PAGAR A ATUAL SAFRA EM 10 MESES, ISSO PODE? A USINA SERESTA NEM ARRENDAMENTO DOS PROPRIETÁRIOS ESTÁ PAGANDO. PRECISAMOS QUE VOCES DA IMPRENSA DIVULGUEM O REAL, O QUE ESTÁ ACONTECENDO E NÃO MENTIRAS. OBRIGADO PELA SUA ATENÇÃO.

  6. Fellipe Moreira

    Edvaldo essa informação passada pelo Sindaçucar não procede. Não existe nenhuma movimentação séria para quitar as dívidas das usinas para com os fornecedores. Apenas pagamentos de pequenos percentuais para, mais uma vez, ludibriar a nossa classe.

  7. Fagner

    Apenas a Usina Utinga Leão pagou integralmente a safra passada. Outras poucas pagaram valores aleatórios e de montante não superior a 4% do total da dívida. Porém, não há qualquer cronograma de pagamento. Outras, em sua maioria, não pagaram nada. Essa tática já é conhecida e não engana mais ninguém!!! PARABÉNS AS USINAS SERRA GRANDE E CORURIPE. Essas respeitam os fornecedores de cana!!!

  8. Gustavo Castro

    Prezado Edvaldo, a informação divulgada pelo Sindaçucar AL é totalmente inverídica. As usinas não vem quitando suas dívidas. Nao fornecem as confissões de dívidas nem fazem sequer algum alinhamento com os fornecedores de cana de açúcar. Não existe cronograma de pagamento definido, apenas repasses irrisórios na tentativa de calar o Movimento de União Rural (MURAL), que de forma organizada, pacata e honesta, vem buscando solução pra essa situação absurda.

  9. JOSE LUIZ VIEIRA SOARES FILHO

    Como membro do MURAL (Movimento de União Rural), posso afirmar que fora a Usina Leão, nenhuma outra deu qualquer cronograma de pagamento, algumas estão fazendo depósitos aleatórios, de valor entre 3 e 4℅ do total principal da dívida. Não ha ainda qualquer indício de quitação da dívida passada. É preciso pagar integralmente a passada e pagar a atual em dia, se continuarem pingando esses 3℅ o que vai ocorrer é que no final da safra não pagarão novamente o restante é o montante final acabará sendo maior do que o inicial, como nos outros anos, está estratégia é antiga. Não engana mais ninguem.

  10. FELLIPE moreira

    Algumas usinas pagaram migalhas e já estão espalhando que estão em dia com os fornecedores!!!!
    Piada de mal gosto!

Comments are closed.