Carimbão: “Reforma da Previdência é extermínio dos pobres”
   20 de março de 2017   │     20:02  │  0

Mais explícito, impossível. O deputado federal Givaldo Carimbão, PHS-AL, decidiu espalhar em outdoors e outros meios de comunicação mensagem acerca da posição dele no projeto de reforma da Previdência.

A mensagem é direta e objetiva: “Voto conta a reforma da Previdência, para garantir sua aposentadoria”.

Da bancada federal de Alagoas, não é só Carimbão que se manifestou contrário a proposta do governo. Os deputados Paulão (PT) e Ronaldo Lessa (PDT) também já decidiram, por orientação partidária, que também vão votar contra proposta.

Entre os senadores, até o momento Renan Calheiros (PMDB) também se manifestou. Para ele a “reforma é exagerada” e não passa do jeito que está.

O que se espera é que o aumento da pressão popular influencie na votação dos deputados e senadores. A tendência, em Alagoas, é que outros deputados também se posicionem contra – pelo menos em parte – do projeto de reforma. Vale acompanhar.

Extermínio dos pobres

Em discurso na comissão especial da PEC da Previdência, Carimbão chamou a reforma de extermínio dos pobres.

Leia alguns trechos: “É verdade que aumentou o prazo (expectativa) de vida? É verdade. Agora, vamos fazer que reforma e atingindo a quem? Alguém defende taxar as grandes fortunas? Alguém defende que a Constituição Federal, quando em 88 criou tributos, do PIS, para dar sustentação, porque a Previdência não é só previdência, é ação social também, a Loas parte está ali dentro, agora não dá para aceitar, aí permita-me chamar de extermínio dos pobres, se eu puder dar um nome a esta reforma é extermínio dos pobres…”

O deputado federal também criticou os benefícios para os militares e a penalização dos agricultores: “como é que pode um trabalhador rural, eu sou de Alagoas, eu conheço e vivo no sertão, eu sou sertanejo, um irmão que está com uma enxada e aí aos 65 anos ele consegue se aposentar e agora vai tirar, literalmente te que pagar 49 anos da previdência, não vai conseguir se aposentar… este caminho não está certo, com todo o respeito aqui aos militares, eu não posso aceitar tira Exército Marinha e Aeronáutica, pode se aposentar aos 47 48, 49, o cara que está no a r condicionado, intelectual, esse pode de aposentar aos 47 48, 49… o governo federal não teve coragem de enfrentar as baionetas, mas está tendo coragem de enfrentar s enxadas dos pobres eu fico com as enxadas dos pobres”.

outdorcarimbao