RF define nos próximos dias reajuste do servidor
   1 de abril de 2017   │     22:17  │  4

O secretário de Planejamento e Gestão de Alagoas, Fabrício santos, faz segredo do conteúdo, mas revela que já apresentou ao governador Renan Filho o estudo de impacto do reajuste salarial do funcionalismo previsto para este ano.

“O levantamento foi feito conjuntamente com a Secretaria da Fazenda e apresentado ao governador, que vai decidir qual percentual será proposto”, pondera.

O próprio governador já confidenciou a alguns interlocutores que fará um esforço para conceder o IPCA de 2016, que foi de 6,29%.

Como a folha líquida dos servidores ativos é de R$ 124 milhões e a de inativos R$ 115 milhões, um reajuste linear nesse percentual geraria um impacto acima de R$ 14,7 milhões por mês ou mais de R$ 190 milhões no ano.

Mesmo sem reajuste, a folha de pagamento do estado segue aumentado de tamanho, mês após mês, aponta Fabrício: “no primeiro trimestre deste ano o crescimento foi de cerca de 3%”, aponta. O tal do crescimento vegetativo, é fruto principalmente de questões judiciais e da implantação das progressões salariais de algumas categorias, a exemplo da Polícia Civil.

Retroativo

A Secretaria de Planejamento e Gestão de Alagoas (Seplag) trabalha para implantar o valor do novo piso nacional dos professores nos salários dos servidores da rede estadual de ensino na folha de abril.

A implantação do novo piso, com reajuste de 7,64%, já foi pedida pelo secretário de Educação de Alagoas, o vice-governador Luciano Barbosa, desde janeiro, mas o processo ainda está em tramitação.

O secretário da Seplag, Fabrício Santos, adianta que o valor do novo piso, de R$ 2.298,80, será retroativo a janeiro para os servidores que tem direito automaticamente ao benefício.

Para os demais servidores da Educação, o governo deve anunciar o reajuste em abril.

A demora na implantação do piso, explica Fabrício, é decorrente em parte do processo burocrático, que o secretário sonha em simplificar: “mesmo para implantar o valor do piso, que deveria ser automático, é preciso que o processo passe por diferentes secretarias e pela PGE. No futuro, se possível, vamos trabalhar para tornar esse procedimento mais rápido e objetivo”, diz.

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Mota

    Alguém sabe informar quanto o prefeito Rui Palmeira deu de aumento ao funcionalismo público de Maceió esse ano?

    Andei pesquisando e não encontrei nada a respeito e a data-base dos servidores públicos do município de Maceió é em janeiro.

    Acorda Rui Palmeira! Estamos em Abril e ainda não acordastes?

    Reply
  2. Observador

    Quero parabenizar o governador, por esse esforço em conceder aumento, reconheço q nao satisfaz a inflação, entretanto essa é uma situação atípica pois somos o estado mais pobre e esperamos confiantes por isso, mas governador abra o olho pois tem secretaria ao seu redor que 30% dos comissionados nao trabalham, mas todo mês recebe integral seu salario absurdo, são pessoas idolentes, essas pessoas deveriam ser exoneradas pois nao fazem nada em prol do interesse publico, sugestão peça relatório do ponto eletrônico q conhecerá o absurdo tudo a mando do secretário. Aí sim, sobraria recursos para que tem compromisso, e nao para quem vem lapidar nosso erário que já é tão sacrificado fica a dica procure e achara. MP olhe o servico.

    Reply
  3. Edgar

    Quem diria que iríamos ter saudades do Téo. Éramos felizes sem saber. Não existia essa conversa fiada. A inflação ele corrigia todos os anos sem pressão. A luta era por melhorias que na maioria das vezes alcançavam o objetivo.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *