Jardel x Carimbão: Igreja avisa que não vai apoiar candidatos em AL
   15 de abril de 2017   │     17:03  │  2

A “briga” entre o deputado federal Givaldo Carimbão (PHS-AL) e o ex-secretário de Prevenção à Violência continua dando o que falar.

Vale lembrar: Carimbão teria pedido para trocar o comando da Seprev (agora sob o comando de Esvalda Bitencourt) depois que Jardel Arderico teria decidido disputar uma vaga de deputado estadual nas eleições de 2018. A iniciativa poderia (ou poderá) atrapalhar os planos de reeleição do deputado estadual Carimbão Junior (PHS).

Essa semana um site local informou que Jardel seria candidato a deputado estadual com o apoio de movimentos da Igreja Católica que tem influência nas comunidades terapêuticas. Assim como Carimbão, o ex-secretário tem forte atuação nessas comunidades.

Após a informação, a Arquidiocese de Maceió e a Rede Cristã de Acolhimento ao Dependente Químico divulgaram nota esclarecendo ter como compromisso o não envolvimento em questões partidárias: “Queremos que a Política sobre Drogas seja tratada de maneira ética, correta e com a devida atenção que merece. Por isso, acreditamos que a verdadeira política se faz de forma universal… sem o envolvimento das comunidades terapêuticas no processo eleitoral”.

Na nota assinada pelo arcebispo dom Antônio Muniz, a Igreja descarta o envolvimento eleitoral: “Assim, manifestamos que não apoiamos nenhum candidato a cargo eletivo nas próximas eleições e ratificamos os Decretos, 08/08/2016 e 26/12/2016 sobre a participação dos fiéis leigos nas Eleições Majoritárias e Proporcionais e sobre a participação das Comunidades Terapêuticas em projetos políticos e de poder”.

Convocando

O deputado estadual Bruno Toledo (PROS), cumpriu o prometido e protocolou, essa semana, requerimento convocando a secretária da Seprev, Esvalda Bittencourt, para prestar esclarecimentos sobre denúncias do arcebispo de Maceió, Dom Antonio Muniz, acerca da utilização da a rede de acolhimento de dependentes químicos com fins eleitorais.

A denúncia do arcebispo foi feita no final de 2016, quando o ex-secretário da Pasta, Jardel Aderico, foi trocado por Esvalda. Sobrou para a atual secretária dar as explicações.

Veja a nota

A Arquidiocese de Maceió e a Rede Cristã de Acolhimento ao Dependente Químico esclarecem ter como compromisso o não envolvimento em questões partidárias. Queremos que a Política sobre Drogas seja tratada de maneira ética, correta e com a devida atenção que merece. Por isso, acreditamos que a verdadeira política se faz de forma universal, alcançando todo aquele que dela precisa, sem a necessidade, portanto, do envolvimento das comunidades terapêuticas no processo eleitoral para que as mesmas sejam contempladas por políticas públicas.

Assim, manifestamos que não apoiamos nenhum candidato a cargo eletivo nas próximas eleições e ratificamos os Decretos, 08/08/2016 e 26/12/2016 sobre a participação dos fiéis leigos nas Eleições Majoritárias e Proporcionais e sobre a participação das Comunidades Terapêuticas em projetos políticos e de poder.

Ver link:

http://www.arquidiocesedemaceio.org.br/noticias/arquidiocese/2854/arcebispotorna-publico-decreto-sobre-as-eleicoes-2-aa6-e-cria-comissao-de-justica-e-paz

http://arquidiocesedemaceio.org.br/noticias/arquidiocese/3065/arcebispometropolitano-de-maceio-emite-decreto-direcionado-as-comunidades-terapeuticas

Maceió, 12 de abril de 2017.

DOM ANTÔNIO MUNIZ FERNANDES

Arcebispo Metropolitano de Maceió

Presidente da Federação da Rede Cristã de Acolhimento

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Observador

    Senhor jornalista, não entendi o motivo do senhor não postar meu comentário que fiz em outra publicação, a carapuça serviu para o senhor, se sim pensei que vc fosse imparcial. Em respeito a nos apreciadores de boas matérias espero uma justificativa plausível.

  2. Indignado

    Caro Edivaldo,a campanha eleitoral literalmente começou no estado. Peço-lhe encarecidamente detalhes de uma parceria que é uma agressão a inteligência humana e aos princípios da dignidade. Foi realizada uma reunião entre o secretário municipal de trabalho e abastecimento e (PASMEM) a secretária municipal de educação com o objetivo de realizar cadastros com fins empregatícios. Isso é um absurdo. Onde estão os Ministério públicos estadual e federal ? Fica claro que o secretário(que é parente e indicação do Ronaldo Lessa) quer ter acesso a todas as famílias dos estudantes da rede municipal de ensino com fins puramente eleitoreiros pois até a senador o parente dele está cotado para sair candidato depois das delações envolvendo os Renans Calheiros, Pai e Filho. Que podridão.

Comments are closed.