Rui Palmeira pode ser o Plano B dos tucanos para o Senado em 2018
   7 de maio de 2017   │     22:35  │  0

O prefeito de Maceió continua fazendo mistério sobre seu destino político. O fa to é que até agora se ele não confirma que será candidato no próximo ano, também não nega. Rui Palmeira (PSDB) já avisou que só fala sobre 2018 em 2018. Até lá o campo estará aberto para especulações e também para todas as possibilidades.

Uma candidatura ao governo parece cada vez mais distante, mas não está descartada. O nome do prefeito também tem sido lembrado, dentro do seu grupo, para uma eventual disputa ao Senado.

O grupo do prefeito encomendou novas pesquisas para avaliar as duas possibilidades. Rui Palmeira, segundo informações que circulam nos bastidores, aparece com boas chances nos dois casos, mas uma disputa pelo Senado – com duas vagas – seria mais “confortável”.

O presidente do PSDB em Alagoas, o ex-governador Teotonio Vilela Filho, já avisou que só será candidato – se for – ao Senado. Téo, no entanto, enfrenta problemas que vão de denuncias na operação Lava Jato a aprovação das contas do seu governo, que poderiam dificultar ou impedir a candidatura.

Se Téo não for candidato, o Plano B do PSDB, informa um tucano influente, poderá ser sim o prefeito de Maceió, Rui Palmeira: “ele segue bem avaliado e é o nome do partido para disputar o governo, mas poderá disputar o Senado se Téo não for candidato no próximo ano”, pondera.

Outro nome do PSDB que vem sendo lembrado pelos tucanos é o deputado estadual Rodrigo Cunha. Assim como Rui Palmeira, seu nome também está sendo avaliado através de pesquisas. No momento, segundo o tucano, a densidade política do prefeito é maior: “Rui Palmeira é mais conhecido e seu nome é lembrado não só na grande Maceió mas também em outras regiões do estado”, aponta.