Reajuste do servidor público ainda não foi decidido, avisa George Santoro
   18 de maio de 2017   │     16:30  │  2

Quem vai decidir o tamanho do reajuste geral para o funcionalismo público é o governador Renan Filho. A essa altura já se sabe que o governo trabalha com a possibilidade de anunciar, até o final deste mês, uma proposta de aumento.

O secretário da Fazenda, George Santoro, confirma que já encaminhou ao governador vários estudos que mostram a disponibilidade financeira do Estado e também os riscos de um reajuste, em meio a crise.

De antemão, ele adianta que é impossível dar a correção plena do IPCA (6,29%) de 2016: “existem estudos que apontam para possibilidade de percentual menor, de parcelamento e também a opção de não dar o reajuste. É preciso avaliar com cuidado o cenário atual, até porque o governo fará concurso para novos servidores, o que vai pressionar o caixa do Estado”, aponta.

Somente com a contratação de mil novos policiais militares, cujo concurso já foi anunciado pelo governador Renan Filho, o impacto financeiro será de cerca de R$ 54 milhões por ano: “além disso, o governo já anunciou intenção de contratar bombeiros militares, professores e outros servidores. O impacto financeiro é muito alto”, pondera Santoro.

Negociações

George Santoro confirma que o governo vem conversando, através das secretarias de Planejamento e Gestão e da Fazenda com representantes dos servidores: “antecipamos aos representantes do funcionalismo a situação financeira e as possibilidades. Os sindicatos sabem que o governador Renan Filho tem intenção de dar um reajuste, mas não será fácil, diante das complicações financeiras”, aponta.

Embora o secretário não confirme, pelo que se sabe o governo sinaliza com a possibilidade de dar um reajuste abaixo do IPCA e parcelado em pelo menos duas vezes.

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Alagoana

    Não é possível que esses políticos fiquem jogando na cara de todo servidor que não pode dá reajuste e ficam nos assustando e tudo sobe, menos o nosso salário porque se dê, vai correr risco de não poder pagar mensalmente. Mas quando é para votar todos não dizem nada que vão dá reajuste porque o estado não pode dá ou que vai complicar tudo. Estão lá porque nós é que escolhemos para nos governar e trabalharem por nós.

  2. marcelino

    O governador Renan Filho, não pode esquecer o funcionalismo público do estado!, se quiser garantir sua reeleição, ele tem que fazer a reposição salarial integral, haja vista que as perdas do 2015, cerca de + 10%, não foram repassada a nós servidores do estado no ano passado, e sabemos que o estado tem folga de caixa e pode perfeitamente cumpri com sua obrigação, estaremos atentos a esse repasse se não for integral, vamos avaliar outro candidato a governador pra votar, por que assim o governador deixa claro que não tem compromisso o funcionalismo público do estado.

Comments are closed.