Veja quem seria eleito para federal e estadual em Alagoas com o “distritão”
   19 de agosto de 2017   │     15:51  │  0

A Câmara dos Deputados deve votar, na próxima terça ou quarta-feira a proposta de reforma política que inclui, além da criação de um fundo público (nosso dinheiro) para financiar as campanhas eleitorais, a criação do Distritão – sistema que acaba com as coligações e transforma, na prática, as eleições proporcionais em majoritárias.

A reforma eleitoral prevê que serão eleitos os deputados federais, deputados estaduais e vereadores, mais votados – assim como ocorre no caso de presidente, governadores, senadores e prefeitos.

O que mudaria se essas regras já estivessem em vigor nas últimas eleições realizadas em Alagoas?

Ao contrário do que se imagina, mudaria muito pouco. É o que revela estudo feito pelo professor Marcelo Bastos (Marcelos Cursos). Pesquisador e especialista na política alagoana, Marcelo prepara um livro sobre as eleições de Alagoas e antecipou, pela redes sociais um estudo que aponta quais candidatos teriam sido eleitos em Alagoas com o chamado distrição.

“A mudança seria mínima. No caso de deputado federal, apenas uma das 9 vagas teria sido alterada. Nas eleições de deputado estadual a composição ficaria diferente apenas para 4 dos 27 parlamentares eleitos em 2014. No caso das eleições de vereador, em Maceió, a composição ficaria diferente para três dos 21 eleitos”, aponta.

Câmara Federal

Na prática, mudança ficaria de 10% a 15% dos eleitos. No caso da Câmara dos Deputados, teria sido eleito Nivaldo Albuquerque no lugar de Paulão, que foi beneficiado pelos votos da coligação partidária.

Assembleia Legislativa de Alagoas

Nas eleições de 2014, Léo da APAE, Cícero Cavalcante, Cidoca e o pastor Marcelo Gouveia seriam eleitos no sistema distrital, onde se elege os mais votados, enquanto Ronaldo Medeiros, Davi Davino, Pastor João Luiz e Carimbão Júnior estariam fora do processo, pois foram eleitos em virtude das coligações.

Câmara de Vereadores de Maceió

Nas eleições de 2016, Ana Hora, César Lira e Aroldo Martins seriam eleitos no sistema distrital, onde se elege os mais votados, enquanto Samyr Malta, Siderlane Mendonça e Luciano Marinho estariam fora do processo, pois foram eleitos em virtude das coligações.

Veja aqui o levantamento, na íntegra:distritao

Veja aqui as tabelas com o levantamento feito por Marcelo Bastos: