Leilão que ameaçava setor sucroalcooleiro de Alagoas foi suspenso, avisa ministro
   28 de novembro de 2017   │     16:07  │  0

O ministro Maurício Quintella (Transportes, Portos e Aviação Civil) informou, agora a tarde por telefone, que o leilão de privatização do terminal de etanol da Transpetro no Porto de Maceió foi suspenso.

O leilão de privatização do terminal, previsto para o próximo dia 7 de dezembro, preocupava o setor sucroalcooleiro de Alagoas. Isso porque o terminal, usado para a exportação de etanol de Alagoas, poderia ser utilizado, após o leilão, para importação de etanol de milho dos Estados Unidos.

Os produtores locais procuraram o ministro e pediram que ele interferisse para evitar o agravamento da crise nas indústrias do Nordeste, que já atravessam um período de dificuldades. A importação do etanol dos EUA é feita por empresas do Sudeste, através do Maranhão. As importações geralmente ocorrem no período de entressafra de cana no Centro Sul, quando o Nordeste está em plena produção, prejudicando o escoamento e a competitividade das indústrias nordestinas.

A decisão foi tomada pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, atendendo feito por Maurício Quintella. “Foi uma medida acertada do ministro, que atendeu nosso apelo e do setor que é um grande gerador de empregos na região. O leilão ocorreria sem que tenha sido realizado um estudo do impacto que dessa medida mercado de etanol de Alagoas e do Nordeste”, explicou Quintella.

Com a suspensão, o ministro dos Transportes informa que será realizado um estudo não só do impacto no mercado de etanol, mas também sobre a ocupação do terminal de combustíveis do Porto de Maceió. A área, que já estaria com contrato vencido e operada sob liminar, poderá ser incluída nos processo de PPI do Ministério dos Transportes, para posterior licitação.