Novo piso do professor será pago em AL, pela primeira vez, em janeiro
   24 de janeiro de 2018   │     7:52  │  2

O governo de Alagoas paga o piso nacional do professor como manda a lei. No entanto, o Estado sempre demorou mais do que o desejado para implantar os reajustes anuais, anunciados sempre ao final de cada ano.

Por conta da burocracia, o processo de implantação do reajuste anual demorava, de três a cinco meses. Demorava…

Pela primeira vez, ao menos que se saiba, o piso foi implantado e será pago já no primeiro mês do reajuste.

A confirmação foi dada nesta terça-feira, 23, pelo secretário de Planejamento e Gestão, Fabrício Marques Santos. A implantação dos novos valores, com correção de 6,81%, foi possível porque parte do processo foi antecipado.

“Está confirmado. O novo piso já foi implantado e será pago na folha de janeiro”, avisa Marques.

Não é só. Este mês o estado também está implantando o novo valor do salário mínimo, que teve correção menor, de 1,81%.

Impacto

O governo de Alagoas antecipa, por conta da legislação, correção salarial para cerca de 7 mil servidores do estado – entre ativos e inativos a partir deste mês. O impacto chega, pelos cálculos da Secretaria de Planejamento e Gestão a R$ 570 mil por mês.

O reajuste do salário-mínimo, de 1,81% deve beneficiar, segundo estimativas do secretário Fabrício Marques Santos, cerca de 4 mil servidores públicos, com um impacto tão pequeno quanto a correção salarial: R$70 mil por mês. Em média, cada funcionário receberá R$ 17,5 a mais nos seus vencimentos.

A implantação do piso nacional dos professores vai beneficiar cerca de 2,8 mil servidores – a maioria inativos. O impacto mensal com o reajuste de 6,81% será de 500 mil. Em média, cada servidor receberá R$ 178,5 a mais por mês ou dez vezes mais do que receberá o funcionário cujo vencimento está na base da pirâmide salarial do Estado.

Barbosa assegurou novo piso

Em texto publicado aqui, o secretário de Educação e vice-governador do Estado, Luciano Barbosa, assegurou a implantação do novo piso para os professores da rede estadual de ensino.

A piso até 2-017 era estipulado em R$ 2.298,80, para uma carga horária de 40 horas. Com o reajuste de 6,81% o novo piso passou a ser de R$ 2.455,35, para jornada também de 40 horas semanais.

Segundo o MEC, por estar acima do índice de inflação previsto para este ano, o piso nacional do magistério terá um ganho real de 3,9%. Nos últimos dois anos, os professores tiveram um ganho real de 5,22%.

“O piso é Lei e Lei é para ser cumprida. E o estado vai pagar. É o mínimo que podemos fazer pelos nossos professores”, disse Barbosa.

Veja aqui o texto na íntegra: http://edivaldojunior.blogsdagazetaweb.com/2017/12/28/alagoas-vai-implantar-novo-piso-salarial-do-professor-avisa-luciano-barbosa/

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Lucas Soares

    Creio que o nobre secretário Luciano Barbosa esqueceu de dizer que a Lei do PISO sem carreira de nada serve para a maioria dos Professores e professoras da rede Estadual. A Lei do PISO só vale para quem tem nível médio(em Alagoas), como o Estado não aplica a correção na carreira dos Professores e Professoras que possuem nível superio, @s [email protected] ficam com com seus salário defasados.
    No ritmito que vamos em um breve período de tempo os professores de nível médio estarão ganhando mais do que os de nível superior.
    Dessa contradição ele não fala… A carreira ele não cumpre…

  2. Vaninho

    O problema é que tem muitos professores fora da sala de aula fazendo trabalhos burocráticos na secretaria. Ninguém que resolver isso.

Comments are closed.