Renan Filho e Rafael Brito anunciam ampliação de voos para AL
   16 de março de 2018   │     9:00  │  1

A regra é simples e os resultados visíveis. Quanto maior o número de voos para Maceió, mais forte o turismo em Alagoas. Para “convencer” as gigantes do setor aéreo a desembarcar mais vezes por aqui, o governo do estado implantou uma política de incentivos que tem dado resultados.

Gol e Azul já embarcaram no desconto do ICMS que incide sobre o querosene, o combustível dos aviões a jato. Agora, chegou a vez da líder do setor no Brasil.

Renan Filho e Rafael Brito assinam o termo de concessão de incentivos à LATAM Airlines Brasil numa cerimônia será realizada nesta sexta-feira, 16, às 12 horas, no salão de despachos do Palácio República dos Palmares, em Maceió.

A LATAM, que será representada pelo CEO da empresa, Jerome Cadier, passará a ter direito a redução do ICMS sobre o combustível da aviação, o QAV. A tarifa vai cair de 17% para 12%. É uma importante redução, até porque as despesas com combustível representam 35% dos custos das companhias.

Como contrapartida, a malha aérea da empresa em Alagoas será ampliada, com mais voos para o Estado. “Este incentivo tornou o Estado mais competitivo no cenário nacional da aviação, rendendo mais de 500 voos extras durante a última temporada em Alagoas”, aponta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo

Rafael Brito acredita que ampliar ainda mais o número de voos com a LATAM vai fortalecer o setor no estado.

“Esta é mais uma conquista desta nova Alagoas, que já é líder em faturamento em agências como CVC e Flytour, além de atrair atenção do mercado internacional. Com mais voos chegando, mais turistas nos visitam e movimentam toda a cadeia produtiva do turismo”, explica Rafael Brito.

Rafael Brito, secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Domingos Leão

    Não consigo entender por que um vôo saindo de Maceió, por essas companhias que já desfrutam do benefício da redução de ICMS do querosene de aviação, para o Sul ou Sudeste é mais caro que um vôo para o mesmo local saindo de Recife ou Fortaleza, que são mais distantes.

Comments are closed.