A pedido de Alckmin, Vilela decide ficar no “ninho” tucano
   7 de abril de 2018   │     16:19  │  0

Depois de analisar convites de vários partidos, o deputado federal Pedro Vilela ficar onde está: filiado ao PSDB.

Vilela estava literalmente com os dois pés dentro do Podemos. Foi convidado a assumir a presidência do partido em Alagoas e teve uma longa conversa com o candidato a presidente do partido, Álvaro Dias.

Mas foi outro presidenciável que o demoveu da saída do PSDB. “O governador Geraldo Alckmin fez um apelo e eu decidi continuar no partido. Também pesou a favor o fato de que eu construí um grande relacionamento dentro do partido ao qual sempre fui filiado”, pondera.

Pedro trabalha agora, junto com Rui Palmeira e Téo Vilela, para convencer o deputado estadual Rodrigo Cunha a disputar o governo. Cunha também pode sair para deputado federal.

Mas seja qual for a decisão, o compromisso é que as coligações proporcionais sejam discutidas com os candidatos: “existe o compromisso de que seremos ouvidos na montagem de chapas, sempre com o objetivo de buscar o melhor resultado para o PSDB”, diz.

Novo comando

Com a permanência de Pedro Vilela no Podemos, quem assumiu a presidência do partido em Alagoas foi o ex-secretário Álvaro Vasconcelos, que é pré-candidato a deputado federal. Ao que se sabe, ele deve cumprir recomendação de buscar palanque próprio para Álvaro Dias em Alagoas, o que exclui, de cara, uma coligação com o grupo do governador Renan Filho.