Por onde passa um boi, passa uma boiada
   24 de abril de 2018   │     16:38  │  0

A prisão da jornalista Maria Aparecida, 68 anos, carece mais do que simples explicações. No Brasil de hoje, condena-se antes, julga-se depois.

Em todo o país, jornalistas e veículos de comunicação tem sido alvos de processos por crimes contra a honra, calúnias ou coisas do tipo.

Os excessos, após apurados, tem sido corrigidos na forma da Lei. Em geral, retratação, direito de resposta, pagamento de multas. São remédios amargos, mas eficazes.

Colocar jornalistas atrás das grades preventivamente é um precedente perigoso não apenas para profissionais de comunicação.

Não custa repetir a sabedoria popular: “por onde passa um boi, passa uma boiada”. Quem será o próximo?

Segredo de Justiça!

O caso de Maria Aparecida Oliveira foi noticiado no final da tarde dessa segunda-feira, 23. A jornalista que mora em Maceió, que tem um blog e um canal no Youtube e foi presa pela Polícia Civil, em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pelo juiz Antônio Barros Filho Lima.

O autor da ação, que corre em segredo de justiça, foi o Ministério Público Estadual de Alagoas. Entre as acusações, estão coação a testemunha e crime de calúnia. Mas como o processo está em “segredo”, maiores detalhes não foram revelados.