Renan Filho anuncia reajuste para o servidor do estado
   5 de maio de 2018   │     22:10  │  6

O governador Renan Filho (MDB) confirmou que vai enviar para a Assembleia Legislativa de Alagoas, na próxima semana, projeto de lei propondo reajuste salarial geral para o funcionalismo com base no IPCA de 2017. A reposição deve ficar em 2,95%. A confirmação foi dada durante a solenidade de inauguração do Eixo Quartel, neste sábado, 5, pela manhã, em Maceió.

A proposta de reajuste salarial do governo do Estado será apresentada dentro do prazo previsto, uma vez que a data base do funcionalismo estadual é maio. Já os servidores da prefeitura de Maceió devem ficar mais um ano sem reajuste.

A data base do funcionalismo municipal é em janeiro e até o momento o prefeito Rui Palmeira não sinalizou com a possibilidade de dar qualquer correção salarial.

Um vereador da base do prefeito revelou que o prefeito já teria decidido não dar nenhum tipo de reajuste este ano, em função das dificuldades financeiras do município.

Reajuste será geral

O reajuste salarial vai beneficiar cerca de 70 mil servidores estaduais, ativos e inativos, mas não vai interromper as negociações salariais com algumas categorias. No começo da próxima semana, o secretário de Planejamento e Gestão, Fabrício Marques Santos terá nova reunião com o Movimento Unificado dos Militares. A expectativa dele é que saia um acordo. “Chegamos ao limite. Abrimos todos os números das finanças do Estado e acreditamos que as lideranças dos militares vão conseguir mostrar para a categoria que o governo já ofereceu o que podia oferecer”, pondera.

A proposta, pelo que se sabe, prevê aumento de 12% para os servidores da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, parcelados em 4 anos – entre 2019 e 2022. Além desse aumento, os militares terão também direito a todos os outros reajustes que forem concedidos ao funcionalismo no período.

Eixo Viário

Na entrevista a jornalistas, Renan Filho destacou que o Eixo Viário inaugurado neste sábado visa ampliar a mobilidade urbana na capital e minimizar os transtornos do trânsito, além de diminuir os longos congestionamentos enfrentados pelos motoristas que precisam utilizar a Avenida Fernandes Lima: “é um investimento muito importante que garante a mobilidade urbana da capital uma vez que as pessoas querem perder menos tempo no trânsito. O governo de alagoas voltou a investir na capital. Há muito tempo não havia investimentos com recursos próprios”, disse o governador.

COMENTÁRIOS
6

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. FUNCIONÁRIA REVOLTADA

    Falam tanto em contenção de despesas e a SEDETUR, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo parecendo um comité do Deputado Federal Ronaldo Lessa, e muito apadrinhamento e muito afilhados do Deputado, recebendo salários altos sem fazerem nada, até filho de motorista do Secretário Rafael Brito, faz parte do quadro dos comissionados. Sobre os veículos da Secretaria, os funcionários vão para casa, usando a gasolina do Estado. Os militares reclamam de barriga cheia, com seus salários de R$: 3.000,00, já entram sabendo qto vão receber. Tenho 33 anos de Estado recebendo R$: 754,00, menos de um salário mínimo, e tendo q ir trabalhar todos os dias pagando transporte. Um absurdo. É esse o governo que ia olhar pelos funcionários efetivos? FORA RENAN!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Alagoano sem esperança

    O serviço público do estado resume-se apenas aos militares? Por que essa disparidade nos reajustes?

  3. Silva

    Quando há investimentos em Educação,Saúde,Turismo,Industria e outras áreas o reflexo na qualidade de vida é imediato.Paises desenvolvidos em funçao de equilibrio social a Segurança Pública é apenas um elo.Quando invertemos essa situação acontecem distorções,12% Para quem tem poder de negociacao e 2% para quem não tem poder de negociar.O nosso futuro é incerto!!!!!.

  4. Mota

    Governo do Estado e Prefeitura de Maceió se dizem sem dinheiro para conceder aumento salarial aos servidores, mas não param de gastar dinheiro com locação de veículos e combustíveis para atender as necessidades de servidores comissionados e servidores efetivos privilegiados. É comum encontrar veículos parados em garagens e até circulando nos finais de semana. Dias atrás eu encontrei um veículo da Prefeitura de Maceió, plotado com a logomarca do Disk Luz, com seu motorista e familiares fazendo compras, em pleno final de semana, em um Supermercado da parte alta de Maceió. Se houvesse uma fiscalização do Ministério Público nas garagens dos órgãos públicos do Governo do Estado e da Prefeitura de Maceió nos horários que não houvessem expediente, poucos veículos se encontraria nas garagens dos órgãos. É uma vergonha dizer que não tem dinheiro para o reajuste do servidor público, quando não existe uma contenção de gastos, sério e eficiente.

  5. Professora esquecida

    Como professora eu gostaria de receber os mesmos 12% vão ser dados à Polícia Militar, mesmo parcelado em quatro anos. Nosso cargo de professor exige formação universitária e ganhamos menos que um militar que só precisa do nível médio pra ser nomeado. Nada contra os soldados, mas o Estado de Alagoas precisa padronizar os pisos salariais de acordo com o nível de escolaridade exigido pelo cargo. As especificidades seriam o diferencial de cada cargo, como: insalubridade, periculosidade, funções, cargos de gestão e outros, sendo pagas como gratificação.
    Assim, haveria justiça para o funcionalismo em geral. Diferente do que vem ocorrendo com categorias sendo hipervalorizadas em detrimento das demais não menos importantes.
    Perguntas que não querem calar: preparar a geração do futuro é menos importante do que encarcerar uma geração perdida? Até quando esse ciclo de disperdício de vidas vai perdurar?
    Quero segurança, mas também quero saúde e educação!

  6. Walter Tobias

    O que o funcionalismo público estadual não sabe, é que o empréstimo que o governo de Alagoas deve a união, não está sendo cobrado a meses. Quando a união voltar a cobrar, aí vcs (funcionários estadual) vão vê o atraso de salários. Aguardem!!!!

Comments are closed.