Um século depois, o Correio da Pedra está de volta em “alto estilo”
   4 de junho de 2018   │     16:43  │  1

Esse é um achado do fundo do baú – literalmente. Delmiro Gouveia, o “desbravador”, tem entre seus feitos a abertura de mais de 500 km de estradas nos sertões de Alagoas e Pernambuco, a primeira hidrelétrica do Nordeste – Angiquinhos -, o pioneirismo na irrigação, a indústria têxtil… A lista é extensa.

Mas até hoje quem vai a Vila da Pedra ouve histórias ao mesmo tempo do forte temperamento e uma visão cultural e social à frente do seu tempo. Delmiro Gouveia teria levado para a povoação que aos depois ganharia seu nome, teatros, escolas, água enganada e até o projeto de um jornal, coisas que eram escassas até na capital das Alagoas, Maceió, naqueles tempos.

De fato, uma equipe de pesquisadores liderada pelo professor e historiador Edvaldo Nascimento conseguiu comprovar que Delmiro Gouveia idealizou o Correio da Pedra. O jornal no entanto só começou a circular poucos meses depois da sua morte (ele foi assassinado em 10 outubro de 2017), em 2018.

Agora, o jornal semanário que circulou por cerca de 12 anos, está de volta. E em alto estilo. A coleção do Correio da Pedra, em fac-símile e edição limitada, será lançada sob a batuta de Ênio Lins, pela Secretaria de Comunicação do Estado nesta terça-feira, 5 de junho, ás 19h, no Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas.

O semanário circulou de 1918 a 1930, na região de Delmiro Gouveia. A organização da coleção é do professor Edvaldo Nascimento e da antropóloga Luitigarde Cavalcanti Barros.

Edvaldo Nascimento adianta que o Correio da Pedra é um achado – literalmente. “Conseguimos recuperar mais de 70% de todas as edições. É um dos poucos registros históricos que existem sobre fatos revelantes que aconteceram não apenas no sertão de Alagoas, mas também em todo o Estado. Era um jornal feito com a lavra de grandes pensadores da época”, explica.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Atenção!

    Por favor, corrigi as datas do seguinte paragrafo: jornal no entanto só começou a circular poucos meses depois da sua morte (ele foi assassinado em 10 outubro de 2017), em 2018.

Comments are closed.