Alagoano, comunista e com apoio de general, Aldo pode ser vice de Alckmin
   29 de junho de 2018   │     21:45  │  0

Alagoano de Viçosa, ex-ministro dos Esportes, da Ciência e Tecnologia e da Defesa, ex-deputado federal, com mais de 40 anos de militância no Partido do Comunista do Brasil, Aldo Rebelo trocou de partido em 2017 para disputar a presidência.

Hoje Aldo é pré-candidato a presidente pelo Solidariedade, de Paulinho da Força. Mas tudo indica que ele poderá ser o vice dos sonhos de Geraldo Alcmin. Com um discurso mais à esquerda, nordestino e um histórico relacionamento com o PT de Lula e Dilma, Rebelo tem defendido um discurso de união das forças políticas para enfrentar a crise e pode “apimentar” a candidatura insossa do tucano paulista.

Não é só. Rebelo conta coma simpatia do tucanato alagoano. Ele é conterrâneo e amigo pessoal do ex-governador Téo Vilela, que mesmo fora da presidência do PSDB, seguem como uma das principais lideranças do partido em Alagoas e deve coordenar a campanha de Alckmin no Nordeste.

O que mais chama a atenção no movimento para tornar Rebelo vice de Alckmin é que o ex-comunista teria sido bem recomendado pelo comandante do Exército, general Villas Bôas.

A informação é da Coluna Estadão: “O movimento para que Aldo Rebelo (SD) seja vice de Geraldo Alckmin não morreu. Segundo a Coluna do Estadão, o tucano ligou para Paulinho da Força, presidente da sigla do ex-ministro, para transmitir esse interesse. O ex-governador de São Paulo foi encorajado pelo comandante do Exército, general Villas Bôas. Nesta semana, Aldo divulgou vídeo de sua pré-candidatura à Presidência”.