Setor sucroalcooleiro vai debater Renovabio em Simpósio da Cana
   10 de julho de 2018   │     19:26  │  0

A temática do Renovabio, a política nacional dos biocombustíveis, nunca esteve tão em alta. Em suma porque o Brasil é o segundo maior produtor mundial de etanol e biodiesel, com potencial de produção de outras fontes de bioenergias. E mais: Alagoas é o maior produtor de etanol da região Nordeste.

Nada mais justo do que se aprofundar num tema tão importante que deve acelerar a produção de etanol na agroindústria canavieira, chegando a um aumento superior a 21 bilhões de litros de biocombustível para atender as metas estabelecidas pelo programa.

O objetivo geral do Renovabio, que já começa a ser implantado a partir de janeiro de 2019 em Alagoas, é aderir às normas acordadas para redução da intensidade de gases do efeito estufa produzidos até 2028. A mobilização é grande e teve apoio dos produtores de todo o País.

O presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, acredita que o calendário de implantação do Renovabio vai sentir às necessidades da própria realidade do sistema produtivo. “Não teremos a plenitude da valorização na largada do programa, mas o que temos é que essa política possa ser alavancada a cada ciclo da cana. Em Alagoas, já a partir da próxima safra temos a necessidade de acelerar a oferta de etanol”, afirma Nogueira.

Para se aprofundar no tema Renovabio, as três entidades que elaboram o programa, como a Agência Nacional do Petróleo (ANP), Ministério de Minas e Energia e a Empresa de Planejamento Estratégico (EPE), estarão juntas durante o 35º Simpósio da Cana, nesta quarta-feira (11), a partir das 9h. “O Renovabio será o tema de abertura e os representantes das três entidades irão apresentar o que se tem de mais imediato nas metas e regulamentações do programa”, ressalta o presidente do Sindaçúcar-AL, que vai mediar o debate.

O Simpósio da Cana é tradicional nas discussões sobre o setor alcooleiro de Alagoas. A abertura do evento ocorre a partir das 8h30, no Centro de Convenções, em Maceió.

“É um seminário tradicional que trata do que aconteceu na safra que terminou, tanto do ponto de vista agrícola quanto do ponto de vista industrial. Na abertura, teremos o tema Renovabio. Nos demais painéis, que prosseguem até o fim da semana, serão tratados como as unidades produtoras estão preparadas para se habilitarem a esse programa. Isso é um debate que está se tendo em todo o País”, atenta Pedro Robério Nogueira.

O Simpósio da Cana conta, ainda, com palestras voltadas para área agrícolas, industrial e área comum, se estendendo até a sexta-feira (13). A programação terá temas diversos voltados para o setor, como custos da produção, manejo da cana, sustentabilidade, uso e perspectivas dos combustíveis, uso de energia solar e demais temas.
O evento vai reunir pesquisadores, técnicos, empresários, administradores e estudantes, além de representantes de instituições/empresas que desenvolvem suas atividades voltadas para o setor sucroenergético.